Na Estrada com Marcela Taís

"Me sinto mesmo como uma porta-voz da mensagem de Deus e isso u00e9 um trabalho de muita responsabilidade"
"Me sinto mesmo como uma porta-voz da mensagem de Deus e isso u00e9 um trabalho de muita responsabilidade"
"Me sinto mesmo como uma porta-voz da mensagem de Deus e isso u00e9 um trabalho de muita responsabilidade"

Considerada pela crítica e até por outros artistas como um novo sopro na música cristã nacional, a cantora Marcela Taís trouxe a poesia para o gospel brasileiro.

Com canções românticas e batidas suaves, ela fala no seu primeiro CD, “Cabelo Solto”, de sentimentos como alegria, confiança, leveza, ousadia e amor.

Natural de Três Lagoas (MS), Marcela, de 26 anos, nasceu em lar cristão. Desde cedo, cantava na igreja e alegrava as reuniões de família com sua voz. Participou de coral e até de um quarteto. Certo dia, enquanto “brincava de fazer música” com algumas amigas, resolveu abrir sua pasta de poesias. Escolheu uma intitulada “Não tenho o dom” e passou a cantá-la. Foi assim que teve início a ideia de transformar sentimentos e poesia em música. Redatora publicitária, Marcela tem fascínio por trabalhos audiovisuais. No entanto, o desejo de cantar foi ganhando mais e mais força em seu coração. “Sempre estive envolvida com música, mas especialmente nos últimos três, quatro anos isso foi crescendo dentro de mim. Literalmente mudei de vida. Larguei tudo para dedicar-me integralmente ao ministério de música. E posso dizer com muita tranqüilidade que estou certíssima nessa minha decisão”, falou ela.

Após lançar “Cabelo Solto”, em 2011, Marcela foi um dos destaques do prêmio Promessas no ano seguinte, vencendo a categoria “Pra Curtir”. “Este é um trabalho que lancei de forma independente e depois foi relançado pela Sony Music. Nos últimos dois anos minha vida mudou radicalmente. Deixei de ser uma cantora de Brasília e minha música hoje é reconhecida em vários cantos do país. No ano passado, ganhei o prêmio e assinei com a Sony. Então esse meu primeiro trabalho, mesmo tendo sido lançado há algum tempo, ainda vem me surpreendendo muito. A resposta do público tem sido excelente”, frisou.

Unindo a paixão pela música com a poesia, não foi uma surpresa que Marcela tenha rapidamente caído no gosto do público feminino. A voz delicada e a leveza de suas letras traduziram muitos dos desejos de jovens por todo o Brasil. “Inicialmente não era uma estratégia. Apenas expressei meus sentimentos no ‘Cabelo Solto’. E entre tantas canções do repertório, acabei reunindo músicas que falavam diretamente para a realidade do público feminino. Eu não tinha intenção de fazer um CD para as meninas! Acabou que o projeto foi naturalmente sendo aceito pelo público feminino. Acho interessante essa identificação porque também é algo bem autoral. Muitas das questões que eu canto foram vivenciadas por mim. Então é um CD de menina para as meninas!”, exclamou.

A cantora falou tão bem aos corações que acabou tendo a canção “Escolhi te Esperar” escolhida tema do ministério “Eu Escolhi Esperar”, que prega que adolescentes e jovens orem e aguardem em Cristo pela pessoa especial. “Esta música foi um marco em minha curta carreira artística e acabou tornando-se um hino oficial do movimento ‘Eu Escolhi Esperar’. Não há um único lugar onde eu não tenha que cantar essa canção. O clipe também tem muitas visualizações até hoje e é uma excelente ferramenta de divulgação de meu trabalho”, enfatizou Marcela. De fato, a canção tem milhares de visualizações no site Youtube, acompanhadas sempre de comentários de quem aguarda com alegria e fé pela pessoa amada.

DNA
O repertório inovador e estilo diferente apresentados em “Cabelo Solto” não surgiram para o trabalho especificamente, está mais para uma marca registrada. Segundo a cantora, essa originalidade se dá por uma mistura de influências. “A inspiração me vem naturalmente. Não consigo sentar e escrever uma música. Ela surge e meu trabalho é parar tudo e registrar do meu jeito. Como não toco nenhum instrumento, acabo cantarolando a melodia. Tenho muitas influências, ouço muita música, curto MPB e música internacional. Gosto muito de moda e tudo que é visual. Acho que acabo trazendo essas questões para minha música também”, destacou. .

Após o lançamento de “Cabelo Solto”, Marcela relembrou a sua vocação como publicitária e por trabalhos audiovisuais para atuar também como diretora de clipes. E isso deve continuar, segundo a cantora. “Tenho muito interesse pelo visual, pelo design, pela forma. Acho que consigo me comunicar não somente por minha música, mas também por minha imagem. Como a própria gravadora tem feito questão de deixar claro, o vídeo hoje em dia é uma importante ferramenta no mercado fonográfico e certamente terei muito a investir nessa área no novo projeto”. Sucesso também na frente das câmeras, ela aproveitou para gravar um durante a participação em um projeto missionário no Nordeste. Foi o clipe “Pra Você Sorrir”. “Tive a oportunidade de conhecer uma comunidade de quilombolas, descendentes de escravos e de ver de perto a realidade do povo sofrido do sertão. Mas aprendi que mesmo em meio a tantos desafios, aquela gente sofrida ainda consegue se alegrar. Acho que não deveria haver outro lugar melhor do aquele para gravar um clipe que fala justamente da forma como devemos encarar as coisas, sempre de forma positiva e alegre. O clipe estreou há algumas semanas e já passou de 30 mil views. Os comentários são os melhores possíveis”, falou.

Embora ainda não possa adiantar muito do novo CD pela Sony Music, Marcela afirma que as músicas irão refletir um pouco mais de meu amadurecimento como pessoa e artista. “Acho que vou investir em algumas novidades sonoras, talvez em outras parcerias de composição. Certamente terei uma cobrança interior muito grande porque no projeto ‘Cabelo Solto’ era tudo muito independente, muito leve. Acho que no meu atual momento, não tenho direito de gravar qualquer coisa e por isso estou tendo muito cuidado”, disse.

A cantora lembra que independente do que faça, só não abre mão de continuar curtindo a vida sempre com quem ama. Como ela frisa em um trecho, da música “Reggae Não Vaidade”, “Deus, paz e família” são sempre prioridades. “De que adianta ganhar o mundo e perder minha salvação, minha família, meus amigos? Quero servir a Deus e manter uma relação próxima às pessoas. Por mais que eu tenha uma vida corrida, intensa e que eu procure e curta isso, no fim, quero apenas ter um momento a sós com Ele. Quero voltar pra minha casa, abraçar meus pais, brincar com meus vira-latas e curtir a vida”.

Os próximos meses devem ser de intenso trabalho para Marcela, que deve entrar em estúdio em breve, além de outros projetos. “Ainda tenho um enorme caminho pela frente. Neste momento estou pensando no meu novo CD solo previsto para o primeiro semestre de 2014. Tem ainda um projeto paralelo que estou desenvolvendo com o Bruno Branco e Hélvio Sodré. Minha intenção é poder seguir uma carreira artística bastante duradoura e criativa. É óbvio que no campo afetivo espero casar e ter filhos, mas isso é uma outra etapa. Neste momento, estou focada em minha carreira artística”, enfatizou ela

Para Marcela, o louvor está em seu DNA, e poder dedicar a sua vida ao louvor é uma alegria e também uma grande responsabilidade. “Me sinto mesmo como uma porta-voz da mensagem de Deus e isso é um trabalho de muita responsabilidade! Tenho um chamado missionário muito forte que também meio que tradição na minha família. Meus pais e avós são pastores missionários e carrego isso em meu DNA. Acho que a música tem um poder de chegar a lugares que jamais irei pessoalmente. Isso é fantástico! Tenho notícias de pessoas de outros países que conheceram minhas músicas e eu jamais imaginei estar nestes lugares”, finalizou a cantora.