Música “Bob”: um ataque a família cristã

Foto: Reprodução

“O intuito dessa música é desconstruir os valores das crianças, portanto, pais, vigiem seus filhos”, alertou a psicóloga cristã Marisa Lobo

Lançada em junho pelo cantor Kamaitachi, a música infantil “Bob” viralizou na internet. O vídeo clipe da canção se tornou um dos mais acessados do YouTube, com mais de 4 milhões de acessos. O problema é quanto aos temas abordados como aborto, drogas e infidelidade conjugal que tem intrigado a liderança evangélica.

Em sua conta no instagram pastor Lucas fez um alerta aos pais sobre a gravidade da canção. “Essa música fala de um demônio que possui a vida da criança durante a noite, a música também aborda a desconstrução familiar do Bob, o pai usa um pozinho branco e trai a mãe e a mãe é prostituta”, afirmou o pastor.

Em um artigo publicado em sua página no Facebook, pastor Renato Vargens também faz um alerta após receber várias mensagens do público pedindo opiniões sobre a música.

“A letra fala de um amigo imaginário com ênfase em suicídio, drogas, assassinato, adultério e ocultismo. Além dos temas abordados de forma mais direta, deprecia a figura dos pais.

Segundo a psicóloga cristã Marisa Lobo, por ter um ritmo envolvente, “Bob” gera empatia e com isso a criança presta mais atenção na letra. “Vai impulsionando ela a ouvir mais, parar para ouvir, achar engraçado , e vai alienado, mudando valores e o mais perigoso, motivando comportamentos desconstrucionistas”, explicou.

Ela chama atenção que as crianças são “sugestionáveis”. E podem se inspirar em músicas, filmes, jogos e no comportamento de seus “heróis” artistas. “O que quero deixar claro é que este vídeo, desta música, tem o intuito de modelar, inspirar comportamentos nas crianças, desconstruindo seus valores”, afirma.

O cantor

Kamaitachi é uma referência a um demônio do folclore japonês. Na Wikipedia, o termo é descrito como uma junção das palavras “Kama“, que significa foice, e “itachi“, doninha. Na cultura popular do país oriental, este ser sobrenatural estaria associado a cortes que as pessoas sofrem quando são atingidas por um golpe de ar frio.

Por isso mesmo, pastor Lucas ficou espantado quando tomou conhecimento das músicas do cantor. O artista é o compositor da música Bob e é um cantor assumido de satanás. Canta sobre demônios e temas relacionados a Lúcifer, a quem diz adorar.

“Pais, cuidado. Ei, crianças, não assistam vídeos do Rafa Kamaitashy. Fiquei chocado com a quantidade de seguidores e de fã-clubes. Encontrei muitas crianças que seguem ele. Além de músicas como homenzinho torto, manual do suicídio entre outras músicas absurdas”, advertiu o pastor.

Pais

A psicóloga afirmou que o problema é mais sério do que se imagina. Segundo ela, o conteúdo da música é inadequado para crianças e por isso os pais não deve deixar seus filhos expostos a isso.

“Pais devem bloquear e monitorar, pois nossas crianças estão sendo bombardeadas de forma negativa, é podem ser influenciadas a ponto de adotar o comportamento proposto por estas canções, maquiavélica e, pois causam a princípio prazer e como toda a “droga” no final terror. País, vigiem seus filhos”, explicou.

Para Renato Vargens, algumas situações exigem medidas práticas e uso de autoridade para evitar que algumas ideias seduzam os filhos, levando-os a uma compreensão equivocada da família e da vida.

“Pais, estejam atentos aquilo que seus filhos estão ouvindo na internet. Não permitam que seus filhos ouçam essa música. Se por acaso eles já ouviram conversem a respeito dela com eles e desconstruam em sua mente toda malignidade por ela produzida. Ore por e com seus filho”, aconselhou.

Veja


Leia mais

Não deixe ser tarde demais
A educação dos filhos