22.1 C
Vitória
sábado, 28 março, 2020

Música “Bob”: um ataque a família cristã

- Continua após a publicidade -

Mais lidas

Fifa propõe reduzir salários de atletas

A Fifa se reuniu com a Associação de Clubes Europeus e com a Federação Internacional de Jogadores para discutir o impacto da paralisação de campeonatos

Conmebol adianta até 60% da premiação da Libertadores e Sul-Americana

Conmebol decidiu antecipar até 60% das premiações referentes a fase de grupos da Libertadores e da segunda etapa da Sul-Americana

COB cancela fase classificatória dos Jogos da Juventude 2020

Etapas classificatórias dos Jogos Escolares da Juventude 2020 aconteceriam em setembro em três cidades do país

Jogador do Ajax acorda do coma após quase três anos

Depois de dois anos e nove meses em coma, o jogador Abdelhak Nouri, do Ajax, acordou. O jovem estava em tratamento após ter uma arritmia cardíaca em campo

“O intuito dessa música é desconstruir os valores das crianças, portanto, pais, vigiem seus filhos”, alertou a psicóloga cristã Marisa Lobo

Lançada em junho pelo cantor Kamaitachi, a música infantil “Bob” viralizou na internet. O vídeo clipe da canção se tornou um dos mais acessados do YouTube, com mais de 4 milhões de acessos. O problema é quanto aos temas abordados como aborto, drogas e infidelidade conjugal que tem intrigado a liderança evangélica.

Em sua conta no instagram pastor Lucas fez um alerta aos pais sobre a gravidade da canção. “Essa música fala de um demônio que possui a vida da criança durante a noite, a música também aborda a desconstrução familiar do Bob, o pai usa um pozinho branco e trai a mãe e a mãe é prostituta”, afirmou o pastor.

Em um artigo publicado em sua página no Facebook, pastor Renato Vargens também faz um alerta após receber várias mensagens do público pedindo opiniões sobre a música.

“A letra fala de um amigo imaginário com ênfase em suicídio, drogas, assassinato, adultério e ocultismo. Além dos temas abordados de forma mais direta, deprecia a figura dos pais.

Segundo a psicóloga cristã Marisa Lobo, por ter um ritmo envolvente, “Bob” gera empatia e com isso a criança presta mais atenção na letra. “Vai impulsionando ela a ouvir mais, parar para ouvir, achar engraçado , e vai alienado, mudando valores e o mais perigoso, motivando comportamentos desconstrucionistas”, explicou.

Ela chama atenção que as crianças são “sugestionáveis”. E podem se inspirar em músicas, filmes, jogos e no comportamento de seus “heróis” artistas. “O que quero deixar claro é que este vídeo, desta música, tem o intuito de modelar, inspirar comportamentos nas crianças, desconstruindo seus valores”, afirma.

O cantor

Kamaitachi é uma referência a um demônio do folclore japonês. Na Wikipedia, o termo é descrito como uma junção das palavras “Kama“, que significa foice, e “itachi“, doninha. Na cultura popular do país oriental, este ser sobrenatural estaria associado a cortes que as pessoas sofrem quando são atingidas por um golpe de ar frio.

Por isso mesmo, pastor Lucas ficou espantado quando tomou conhecimento das músicas do cantor. O artista é o compositor da música Bob e é um cantor assumido de satanás. Canta sobre demônios e temas relacionados a Lúcifer, a quem diz adorar.

“Pais, cuidado. Ei, crianças, não assistam vídeos do Rafa Kamaitashy. Fiquei chocado com a quantidade de seguidores e de fã-clubes. Encontrei muitas crianças que seguem ele. Além de músicas como homenzinho torto, manual do suicídio entre outras músicas absurdas”, advertiu o pastor.

Pais

A psicóloga afirmou que o problema é mais sério do que se imagina. Segundo ela, o conteúdo da música é inadequado para crianças e por isso os pais não deve deixar seus filhos expostos a isso.

“Pais devem bloquear e monitorar, pois nossas crianças estão sendo bombardeadas de forma negativa, é podem ser influenciadas a ponto de adotar o comportamento proposto por estas canções, maquiavélica e, pois causam a princípio prazer e como toda a “droga” no final terror. País, vigiem seus filhos”, explicou.

Para Renato Vargens, algumas situações exigem medidas práticas e uso de autoridade para evitar que algumas ideias seduzam os filhos, levando-os a uma compreensão equivocada da família e da vida.

“Pais, estejam atentos aquilo que seus filhos estão ouvindo na internet. Não permitam que seus filhos ouçam essa música. Se por acaso eles já ouviram conversem a respeito dela com eles e desconstruam em sua mente toda malignidade por ela produzida. Ore por e com seus filho”, aconselhou.

Veja


Leia mais

Não deixe ser tarde demais
A educação dos filhos

- Continua após a publicidade -

Revista Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

26 de março: live – Como inovar na igreja em tempos de disruptura

Nesta quinta (26), as 19h, vai acontecer a primeira live da série "O efeito da liderança na crise” com Josué Campanhã, diretor da Envisionar e Thiago Faria

Novo Som faz show online

Devido a quarentena por causa do coronavírus, a banda vai estar ao vivo no sábado (28) a partir das 20h. Será transmitido pelo Instagram e Facebook

Coronavírus: Os eventos evangélicos que já foram cancelados

Devido a pandemia que se instalou no país por conta da Covid-19, muitos eventos evangélicos foram cancelados, suspensos ou adiados. Confira!

Oficina sobre comicidade no ambiente hospitalar

O Lacarta Circo Teatro abre inscrição para palhaço hospitalar. A oficina acontecerá dia 14 e 15 de março das 09h às 16h, na sede...

Receber notícias

Gostaria de receber notícias em primeira mão? Assine gratuitamente agora:

Plugue-se

Um encontro diário com a Palavra de Deus

A SBB mobiliza-se para levar esperança à população brasileira, disseminando, pelos meios digitais, a mensagem da Bíblia Sagrada. Entre as ações estão a campanha #PalavradeEsperança e o podcast Um minuto com a Bíblia

Como a pandemia deve ser encarada pelos cristãos?

“Creia no sobrenatural de Deus”, diz médica cristã, ao falar sobre o medo do coronavírus e como os cristãos devem encarar a pandemia

Casa Worship lança projeto acústico gravado em Goiânia

A Banda gravou "A Casa É Sua" com releituras acústica de sucessos do seu DVD. "Não consigo descrever a sensação que foi essa experiência"...

“Milagre da vida”: O inesperado pode ser um presente

Em tempos de confinamento por conta do coronavírus, o filme “40 Dias - O Milagre da Vida” vem apresentar essa mensagem de uma forma sensível e desafiadora