26 C
Vitória
terça-feira, 25 janeiro 2022

Museu Judaico de São Paulo está aberto para visitação

museu judaico SP
Foto: Reprodução/ Facebook

Trazendo uma mistura de tradição com modernidade, o Museu Judaico de São Paulo abriu ao público pela primeira vez no domingo, 5 após quase 20 anos de planejamento

Por Priscilla Cerqueira

Após quase 20 anos de planejamento e organização foi aberto ao público pela primeira vez o Museu Judaico de São Paulo. O local está aberto a visitação até dia 31 de dezembro. Situada no bairro Bela Vista, na capital paulista, o Museu traz uma mistura de tradição e modernidade.

A obra foi projetada no final da década de 1920 e tombada pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (CONPRESP) em 2013. O Museu tem como missão resgatar e preservar a memória da comunidade judaica em São Paulo e no Brasil.

“Esse prédio contemporâneo que foi acoplado à sinagoga simboliza essa intenção de ser um espaço não só aberto, mas conectado ao território, com o tempo presente. Essa junção da tradição com a contemporaneidade é algo muito no cerne do projeto”, afirmou Felipe Arruda, diretor executivo do museu, o primeiro a contar a história do povo judeu na capital paulista.

O Museu

exposição_Museu judaico SP
Exposições temporárias e de longa duração fazem parte das atrações do novo Museu Judaico de São Paulo. Foto: Fernando Siqueira

O visitante encontra um acervo no Museu, que é composto por objetos, fotos e documentos doados por famílias e instituições da comunidade judaica, que avaliaram a importância de ceder recordações e artigos pessoais na criação de uma memória coletiva do passado do povo judeu, de forma que épocas como a do Holocausto não sejam esquecidas ou venham a se repetir.

“Conta a história da minha família durante o Holocausto, a fuga que tiveram que fazer da Alemanha para a China e, depois, para o Brasil. A história tem que ser lembrada, contada. Para a gente saber para onde vamos, temos que saber de onde viemos”, relata William Jedwab, neto de judeus, sobre os objetos que doou ao acervo do museu.

Devido à complexidade do assunto e sua relevância na história do povo judeu, o museu tem uma seção exclusiva dedicada ao Holocausto. Também conta com uma biblioteca com cerca de 20 mil livros, 100 mil fotografias, depoimentos em vídeo e milhares de documentos, sendo um dos mais raros uma reprodução fiel da Torá (livro sagrado dos judeus) que pertenceu a Dom Pedro II, último imperador do Brasil.

Serviço

Quando: Terça-feira a Domingo (8 a 31 de Dezembro)
Hora: das 10h às 18h
Local: Museu Judaico de São Paulo – Rua Martinho Prado , 128 – São Paulo (SP)

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se