Museu do Amanhã ganha prêmio internacional

O Museu do Amanhã superou concorrentes como o Louvre de Abu Dhabi e o Museu de Vancouver. Foto: Bernard Lessa

O modelo de gerenciamento do Museu do Amanhã, instalado na região portuária do Rio de Janeiro, foi reconhecido com a conquista do Leading Culture Destinations Awards 2018 (LCD Awards), na categoria Melhor Organização Cultural do Ano para Promoção de Soft Power.

Para ganhar o prêmio, o Museu do Amanhã superou concorrentes de peso como o Louvre de Abu Dhabi e o Museu de Vancouver. O LCD Awards, considerado o Oscar dos museus, é o maior prêmio internacional concedido a instituições, organizações artísticas e cidades que são destinos culturais.

A categoria de Soft Power avalia ainda capacidade da instituição de influenciar positivamente a sociedade na qual ela está inserida e o quanto o museu é criativo o suficiente para engajar as pessoas nos temas que desenvolve. A expressão foi usada pela primeira vez pelo professor da Universidade Harvard Joseph Nye, no final dos anos 1980.

“Isso para nós é a essência de um museu. O propósito principal de um museu é que ele crie condições de receber os seus visitantes e as pessoas que vão ali usufruir daquela experiência, para que possam de alguma maneira serem tocados, impactados e leve os seus visitantes à reflexão sobre os temas”, disse o diretor-presidente do Museu do Amanhã, Ricardo Piquet, em entrevista à Agência Brasil.

Essa não foi a primeira vez que o espaço cultural é premiado. Em 2016, tinha recebido o título de Melhor Novo Museu do Ano das Américas e Caribe. No ano passado, conquistou o Prêmio Internacional Mipim Awards, em Cannes, por ser uma construção sustentável. Também em 2017, em Nova York, recebeu o reconhecimento da Brazil Foundation como gestão inclusiva.

“O Museu do Amanhã tem como base ética a sustentabilidade, que é a nossa relação com o planeta, e a convivência que é a nossa relação uns com os outros. Montamos a nossa programação, desde seminários, debates, eventos, feiras, laboratórios de pesquisa, para envolver as pessoas nestes dois temas. Isso é o que faz a diferença do prêmio na comparação aos outros prêmios que o museu já recebeu”, disse.

*Com informações da Agência Brasil 


Leia mais

Um mês do incêndio do Museu Nacional
Museu Nacional – Incêndio destrói 200 anos de história

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!