30.9 C
Vitória
quarta-feira, 27 janeiro 2021

A mulher na Bíblia

Mais Artigos

Fazejamento

Deixe o passado no passado e avance de maneira firme e constante em direção as coisas que vêm adiante.

Feminismo segundo a TV Record

Não importam os rumos que a trama da TV Record venha a tomar, ela abre espaço para discutirmos as origens do feminismo e até onde os feminismos de hoje estão sendo positivos ou negativos para a mulher

Seria a Bíblia atual?

De fato, propor uma ética bíblica não é tarefa fácil, mas a Bíblia continua válida hoje como o foi no passado.

A mulher no período bíblico não era tratada como inferior. As esposas dos patriarcas eram ouvidas, respeitadas e admiradas

As características femininas da menstruação, a sexualidade e os mistérios da gestação sempre foram encaradas com um misto de admiração e medo. Cada grupo social reagia ao seu modo, mas sempre percebendo e respeitando seu valor. Passados alguns milênios, a situação mudou: o que era motivo de admiração tornou-se vergonha e subordinação.

Embora alguns acusem a Bíblia de ter contribuído para a desvalorização da mulher no ocidente, ela registra a presença das mulheres nos momentos mais decisivos: na criação do mundo, na formação do povo escolhido, na sua preservação, conquista da terra prometida, no período dos juízes, no estabelecimento do Reino de Israel, na sua divisão, no período do exílio, na genealogia de Jesus, no seu ministério, na sua morte e ressureição e na formação da igreja primitiva.

A mulher no período bíblico não era tratada como inferior. As esposas dos patriarcas eram ouvidas, respeitadas e admiradas. As mulheres participavam das celebrações religiosas e sociais, atuavam no plano econômico e tinham voz no campo privado e no público. As mulheres estavam presentes nas festas judaicas (Dt 12.12) e nos sacrifícios (Dt 12.18). Faziam parte da aliança do povo com Deus (Dt 29.10-13) e deviam, como os homens, conhecer e respeitar a lei (Dt 31.12).

As mulheres atuaram na reconstrução do muro de Jerusalém (Ne3.12), um papel tradicionalmente masculino. Como Neemias não traça nenhum comentário ao fato, pode-se inferir que não era incomum, tanto que há o registro da construção de três cidades por Seerá, filha de Efraim (1 Cr 7.24). O fato de que não há destaque à questão de gênero quando uma mulher exerce um papel de liderança na Bíblia é um sinal de que isto não despertava estranheza.

O único cargo em que as mulheres estavam excluídas era o de sacerdote cujas altas exigências excluíam mesmo a maioria dos homens (Lv 21).  Apesar disso as mulheres dos sacerdotes e suas filhas participavam da refeição sacerdotal (Lv 22.10-13) e a mulheres ministravam à porta do tabernáculo (Êx 38.8). Deus valoriza tanto a mulher que se dirige diretamente a várias delas como: Hagar (Gn 21.17), a mãe de Sansão (Jz 13.3, 9) e Maria. A Bíblia registra que as mulheres sentiam-se à vontade para buscar a presença e orientação de Deus como fez a mulher de Jeroboão (1 Rs 14.1-16), a Sunamita (2 Rs 4.22-30), Rebeca (Gn 25.22-23), Raquel (Gn 30.6) e Ana (1 Sm 1.10-17; 2.1-10).

A mudança na relação entre os gêneros se deve muito à influência do patriarcalismo romano. Entre os romanos, as mulheres ocupavam posição socialmente subordinada, politicamente nula e economicamente relativa. A partir do século I, o judaísmo rabínico começou a produzir o Talmud, coletânea de textos referentes à lei, ética, costumes e história do povo judeu.

Como o povo judeu vivia sob o domínio romano, muito desta cultura foi inserida no Talmud como o lugar atribuído à mulher na sociedade, que passou a praticamente não ter mais vida social, ficando afastada dos acontecimentos e lugares públicos e religiosos. Jesus revelou grande coragem quando ignorou as barreiras sociais existentes e exerceu um ministério pessoal junto às mulheres. Tendo sido criado no judaísmo sabia as regras sociais mas, apesar disso, desafiou a sociedade de sua época com atitudes muitas vezes escandalosas que para ele eram naturais, frutos de seu amor e compaixão pela humanidade como um todo.

O século 21 chegou com mais aceitação pelas escolhas femininas. Cada vez mais as mulheres alcançam a independência financeira e política, expressam seus gostos e defendem seus pontos de vista. Mas ainda há espaços a serem conquistados, principalmente quanto às questões salariais e a violência. E a Igreja de Cristo tem um papel decisivo nesta luta: “não pode haver nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo” (Gl 3.28).


Lidice Meyer Pinto Ribeiro – Antropóloga, Professora na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, Portugal

- Publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Líder da Igreja Batista Getsêmani é curado da covid-19

O líder da Igreja Batista Getsêmani entra para a estatística dos mais de 7 milhões de brasileiros que foram curados da covid-19. Saiba mais!

Milhares de desabrigados em Moçambique após ciclone Eloise

Pessoas afetadas por tempestades em janeiro no país africano chegam a 288.400. Saiba mais!

Corrente do bem: Levando oxigênio para quem precisa

Voluntários da Corrente do bem em Manaus! Grupo de amigos se juntou para dar apoio às pessoas que não conseguem internação e estão sendo tratadas em casa. Saiba mais!

Lideranças religiosas protocolam pedido de impeachment contra Bolsonaro

Documento é assinado por 380 pessoas ligadas a diferentes denominações evangélicas, além da igreja católica e de 17 movimentos cristãos. Saiba mais!

Entrevistas

Ilma Cunha: depressão e ansiedade na pandemia

Já viu como tem gente deprimida e ansiosa à nossa volta? As doenças da alma ganharam força total nesta pandemia. Confira a entrevista!

Entrevista com o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande

“O melhor dos cenários para 2021 é com vacina” "O melhor dos cenários para 2021 é com vacina” Por Luciene Araujo “Vamos andar mais rapidamente que o...

Papai Noel – O que ele tem a dizer?

Comunhão “conversou”com “Papai Noel”. Numa entrevista fictícia, ele explica os símbolos e significados do Natal e porque seu personagem tomou o lugar de Jesus...

Mirna Borges: Finanças, planejamento e controle

Uma das principais influenciadoras de finanças no Brasil, Mirna Borges, dá dicas de como sair do vermelho, acertar as contas e ter uma vida mais próspera com o dinheiro, através de princípios bíblicos. Confira!