Senador John McCain – será sepultado com honrarias nos EUA

Foto: Larry French/Getty Images

McCain morreu no sábado (25), vítima de um câncer no cérebro. Enterro será na próxima quarta (29), em Washington.

O senador americano John McCain morreu aos 81 anos neste sábado (25) depois de perder uma batalha contra o câncer. O celebrado herói de guerra republicano e conhecido por sua capacidade de negociação em um país cada vez mais dividido, McCain será sepultado em academia militar. E terá dois velórios.

A cerimónia fúnebre vai realizar-se na Catedral Nacional, em Washington,na quarta-feira (29), dia do aniversário de McCain. Segundo a rede de TV CBS, os ex-presidentes George W. Bush e Barack Obama devem discursar durante as homenagens ao ex-senador. O ex-vice presidente Joe Biden discursará em um culto, que vai acontecer no Arizona.

Segundo o jornal The Washington Post, o atual presidente dos EUA, Donald Trump, não será convidado para a cerimônia. Ele e McCain protagonizaram duros confrontos desde a campanha de 2016. Mas vice-presidente Mike Pence a representar a Administração Trump no funeral.

Além do culto na capital dos EUA, o senador será homenageado na rotunda do Capitólio, a sede do poder legislativo norte-americano.

Doença

O senador foi diagnosticado com uma forma agressiva de câncer no cérebro. E desde julho de 2017 realizava o tratamento. Ele deixou Washington para ficar com sua família no Arizona e se ausentou do Senado.

Mesmo após a descoberta, o senador continuou, por alguns meses, com as obrigações políticas que tinha e acompanhando o trabalho da sua equipe em Washington.

Figura política

McCain era uma das figuras políticas mais respeitadas dos EUA. E também conhecida no mundo inteiro. O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu lamentou a morte do senador. “Ele foi um verdadeiro amigo de Israel, cujo apoio ao país nunca fraquejou. Surgiu da sua crença na democracia e na liberdade. O Estado de Israel cumprimenta John McCain”, escreveu o chefe de governo em sua conta no Twitter..

*Redação de Comunhão, com informações da Agência EFE


Leia mais

Pastores irão participar da posse de Trump
Trump viaja para buscar “unir povos de todas as religiões”