Aretha Franklin morre aos 76 anos

Foto: by Scott Gries/ImageDirect. Scott

Pai da artista, Clarence LaVaughn Franklin, foi pastor da congregação que fez orações pela saúde da cantora.

Aretha Franklin, considerada a “rainha do soul music” morreu aos 76 anos, nesta quinta-feira (16), após ser diagnosticada em 2010 com câncer no pâncreas. Segundo comunicado divulgado à imprensa, o médico da cantora disse que o câncer estava em estágio muito avançado.

Por meio de nota, a família de Aretha também se manifestou. “Em um dos piores momentos das nossas vidas, não conseguimos encontrar as palavras certas para expressar a dor em nosso coração. Perdemos nossa matriarca e a sustentação da nossa família. O amor que ela tinha por seus filhos, netos, sobrinhos e primos não tinha limites”, disse a nota.

A família pede apenas que as pessoas entendam a dor que estão sentindo. Ainda não há informações sobre o funeral da cantora. A última apresentação da cantora foi em novembro de 2017 em um evento da Fundação Elton John contra a Aids em Nova York.

Orações

Um dia antes da morte da cantora, mais de 100 pessoas se reuniram para orar por Aretha Franklin. O culto foi na Igreja Batista New Bethel, em Detroit, nos Estados Unidos, onde o pai da cantora, o Rev. Clarence LaVaughn Franklin, foi pastor por mais de 30 anos.

Durante a celebração, foram feitas várias homenagens a cantora. Aretha costumava fazer doações na Igreja. “Sem que ninguém soubesse, ela pagou pelos funerais de artistas que tinham trabalhado com a gravadora Motown Records, fundada em Detroit e dedicada à black music. Fez tantas coisas que a cidade nem sequer sabe. Ela nunca esqueceu de onde veio”, disse Fannie L. Tyler, ajudante da cantora.

O pai da artista era conhecido como o “homem da voz do milhão de dólares”. Ele foi pastor da igreja entre 1946 e 1979. E morreu ao ser atingido por dois tiros durante uma tentativa de roubo na casa onde morava.

Trajetória

Aretha Louise Franklin nasceu em Memphis, no Estado norte-americano do Tennessee, em 25 de março de 1942. Filha de pais evangélicos, a cantora gravou seu primeiro disco aos 14 anos, quando frequentava a igreja de seu pai.

Dona de uma voz inconfundível, a cantora ficou famosa pelo clássico “Respect” (1967), sua única canção a chegar ao topo da principal parada de sucessos dos Estados Unidos. Ganhadora de 18 prêmios Grammy, é intérprete de canções como “(You Make Me Feel Like) A Natural Woman” (1968), “Day Dreaming” (1972), “Jump to It” (1982), “Freeway of Love” (1985) e “A Rose Is Still A Rose” (1998).

Em 1987, ela se tornou a primeira mulher a entrar no Hall da Fama do Rock and Roll e cantou na posse do ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama, em 2009. Já o último show solo foi realizado na Filadélfia, em agosto de 2017.

*Com informações da Agência EFE e do G1

Relembre