24.9 C
Vitória
terça-feira, 21 setembro 2021

“Mais perto de Deus”, diz Clara, sobre os ataques de 11 de Setembro

“Nossa comunidade estava ajudando 24 horas por dia”, lembra Clara Hinton, testemunha dos ataques do 11 de Setembro de 2001

Por Victor Rodrigues

Clara Hinton estava sozinha em casa na manhã de 11 de setembro de 2001. “Lembro que estava um dia lindo. O céu estava tão azul quanto poderia ser”, lembra a moradora da cidade de Shanksville na Pensilvânia.

Exatamente uma hora depois, o vôo 93 caiu em um campo a apenas duas milhas da casa de Hinton, no sudoeste da Pensilvânia. “Minha casa sacudiu. Foi como se uma grande árvore tivesse caído”, lembra ela.

De acordo com ela, a TV ficou preta e a linha telefônica caiu. Logo, um amigo apareceu com a notícia do acidente. “Só me lembro de ter medo, porque coisas assim não acontecem em Shanksville”, disse Hinton.

Heróis

Historiadores acreditam que os sequestradores do vôo 93 planejaram levá-lo direto para a Casa Branca ou o Capitólio dos Estados Unidos. No entanto, cerca de 40 passageiros e tripulantes agiram para evitar a tragédia.

Dessa forma, dos quatro aviões sequestrados naquele dia terrível, o vôo 93 foi o único que não atingiu o alvo pretendido pelos terroristas. Após o acidente, a comunidade estava se mobilizando em um centro de crise para receber investigadores e, eventualmente, os familiares dos heróis do vôo 93.

“Nossa comunidade estava ajudando 24 horas por dia”, lembra Hinton. “Aquela sala de incêndio estava cheia de pessoas com tortas caseiras e ótimas refeições e sanduíches disponíveis constantemente.”

Os líderes comunitários pediram a Hinton, um conselheiro do luto, para estar disponível para as famílias. Ela se lembra de um vínculo instantâneo com muitos daqueles que conheceu. “Nós compartilhamos lenços. Nós compartilhamos café. Eu trouxe vários para minha casa para descansar quando eles precisaram de uma pausa”, conta.

Hinton e outras pessoas na cidade mantiveram contato com as famílias à medida que eventos comemorativos os uniam, bem como seu vínculo em torno da tragédia.

Memorial

O Serviço de Parques Nacionais construiu um memorial aos heróis do vôo no local original do acidente. A paisagem oferecem oportunidades para reflexão sobre as quarenta pessoas que há 20 anos, formando um plano que custaria suas vidas para salvar a capital do país.

Katherine Hostetler, porta-voz do Memorial Nacional do Voo 93, diz que a paisagem original ao redor do local do acidente foi marcada pela mineração de superfície. “É um paralelo com o quão assustado nosso país ainda está desde 11 de setembro e quando você vê esta área natural e as flores silvestres e as árvores que inspira esperança de muitas maneiras”, conta.

Ademais para Hinton, uma de suas esperanças neste 20º aniversário é que uma nova geração aprenda sobre o que aconteceu nos céus de Shanksville e veja a mão de Deus. “Isso muda você. Eu me sinto mais perto de Deus, mais perto de Deus e mais perto da humanidade”, disse Hinton.

Com informações de CBN

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se