23.3 C
Vitória
terça-feira, 16 agosto 2022

Missionários ajudam órfãs no Vietnã

vienam
Foto: reprodução/portas abertas

“Estou muito triste por estar separada da minha irmã. Só podemos nos encontrar uma vez por semana na igreja”, compartilha uma das irmãs órfãs

Por Marlon Max

Após a morte dos pais, as irmãs vivem separadas há cerca de um ano. No ano passado, o cristão Gia-Ce foi perseguido por causa da fé no Vietnã. Ele foi preso e acusado de destruir uma floresta reservada — uma tática muito comum usada pelas autoridades locais para intimidar cristãos tribais no Vietnã.

Depois que seu pastor trouxe seu caso para a autoridade provincial, ele foi solto, mas ainda estava sob grande pressão do chefe da aldeia e dos moradores.

E enquanto sua família ainda enfrentava uma situação muito desafiadora, outra tragédia aconteceu. Em maio de 2020, Gia-Ce, a esposa e o filho mais velho, de então 12 anos, acidentalmente comeram cogumelos venenosos e morreram, deixando para trás duas filhas, que tinham apenas nove e cinco anos na época.

As meninas foram então adotadas, se mudaram e passaram a viver em casas separadas. Os parceiros missionários locais da Portas Abertas têm trabalhado em estreita colaboração com a igreja local para fornecer apoio às meninas e às famílias adotivas.

Em uma visita recente, os parceiros locais da Portas Abertas descobriram que as famílias que adotaram as filhas de Gia-Ce estão lutando financeiramente por causa da situação da covid-19 no Vietnã. As famílias mal sobrevivem todos os dias e isso piorou devido à pandemia.

“Estou muito triste por estar separada da minha irmã. Só podemos nos encontrar uma vez por semana na igreja. Mas meu tio também é pobre e tem dois filhos pequenos também e não tem comida suficiente para todos nós. Oro para que eu estude bem e cresça rápido para que eu trabalhe e cuide da minha irmã para vivermos juntas”, compartilha a irmã mais velha.

O pastor também compartilhou que, embora a vida seja tão difícil para as famílias, elas ainda vão à igreja e se apegam à fé cristã. E que a história dessas filhas órfãs se tornou um grande testemunho na aldeia. Parceiros locais com a ajuda do pastor local compraram uma vaca para cada família para criarem e, eventualmente, ajudarem com as necessidades.

Os parceiros também esperam que esse investimento sirva como uma poupança de longo prazo para as filhas de Gia-Ce. “Gostaríamos encorajar as famílias, liberar parte de seu fardo e dar-lhes algo para trabalhar durante essa pandemia”, disse o parceiro local da Portas Abertas.

Com informações Portas Abertas

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se