22.1 C
Vitória
domingo, 5 dezembro 2021

“Apesar de tudo, Deus cuidou de nós”, diz missionária brasileira em Beirute

Explosão em Beirute, no Líbano, deixou um rastro de destruição. Missionária brasileira que mora na capital do país há 5 anos relata momentos de terror

Por Priscilla Cerqueira 

Mais de 100 pessoas morreram e 4 mil ficaram feridas, numa grande explosão que deixou devastada a região portuária de Beirute, capital do Líbano. A área, que fica afastada do centro da cidade, é formada por grandes armazéns e galpões. Tudo ficou completamente destruído.

A missionária brasileira, Evelyn Bovo, da Igreja Adventista, que mora com o marido há 5 anos em Beirute, ficou apavorada com a explosão. Ela está há 5 km do local da explosão. Em conversa com a comunhão, por telefone, um dia após a explosão, ela afirmou que Deus a protegeu do pior.

“Hoje estamos de luto pelas famílias que perderam seus entes queridos e tudo o que tinham. É um país que estava numa crise gigantesca financeira e agora isso só piora. Onde foi a explosão tinha um conteiner de abastecimento para o país de farinha e de milho e tudo isso acabou. Um dia depois de bastante tensão e choque, pude ver que meus vizinhos estava bem, mas que tiveram suas janelas quebradas. A nossa igreja ficou bem destruída, inclusive escolas e universidades que trabalhamos. São imagens chocantes e vídeos que nos fazem chorar. Mas apesar de tudo, Deus cuidou de nós, estamos vivos e sentimos a proteção do Senhor”, relatou.

Além de casas, escolas, supermercados e outros locais destruídos, a explosão também atingiu silos de trigo que ficavam no porto. Estimativas iniciais indicam que cerca de 85% dos grãos do país, que são majoritariamente importados, estavam armazenados nos armazéns que foram destruídos.

Desespero

igreja_destruída-Beirute
Igreja Adventista de Beirute teve parte de seus móveis destruídos com a explosão. Foto:

Evelyn estava em casa na hora da explosão. Ela relatou o desespero que foi.

“Eu estava em casa com todas as janelas abertas, quando ouvi um barulho muito forte, como se fosse uma trovada muito forte. Quando cheguei na janela foi o momento que teve a explosão.

Foi um barulho estrondoso. O impacto foi tão forte que o vento me jogou para o chão. Fiquei apavorada, em estado de choque. Foi algo horrível. Com certeza era uma bomba misturado com terremoto por que tudo tremeu.

Fiquei com muito medo, assustada, comecei a tremer e chorar e não sabia que o que fazer. Até que meu marido me ligou pra saber se estava tudo bem”, relatou.

“Apesar de ter sido um susto muito louco estamos todos bem, graças a Deus”, relatou.

Condolências

O presidente Jair Bolsonaro prestou condolências às vítimas da explosão na noite desta terça-feira, 4. Por meio das redes sociais, Bolsonaro declarou que está “profundamente triste”, e disse que o Brasil abriga a maior comunidade de libaneses do mundo.

Outras autoridades brasileiras também se manifestaram sobre a explosão. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou que entrou em contato com o Embaixador do Líbano no Brasil, Joseph Sayah, em nome do Congresso Nacional. Colocou-se à disposição para oferecer ajuda humanitária.

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil informou que, até o momento, não há registro de brasileiros feridos no suposto acidente. Disse que a pasta está pronta “para prestar a assistência consular cabível”.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se