26.3 C
Vitória
sábado, 10 abril 2021

Missão que não pára! Voluntários até os confins do mundo

Mesmo em meio a pandemia, dois mil voluntários adventistas, de 18 a 79 anos, estão em missão, em 60 países para ajudar a quem precisa

Apesar da pandemia que mudou o mundo, participantes do Serviço Voluntário Adventista (SVA) continuam lutando para alcançar seu objetivo de servir. Afinal, a missão não pára! Atualmente, existem 2 mil voluntários adventistas, de 18 a 79 anos, em 60 países. Desses, 121 pertencem ao continente sul-americano e mais 54 estão à espera de sua viagem.

Francisca Villegas é uma dasque aguardam pela viagem. A jovem, que é enfermeira chilena, relatou com entusiasmo sua vontade de viajar para o Togo, África, onde vai servir no hospital adventista do país por um ano. Além disso, também ajudará, com outras duas jovens, no Clube de Desbravadores e Aventureiros.

“Enquanto estamos no preparando para sair ao nosso campo missionário, estamos desde já fazendo nossa missão. Apesar de ainda estarmos em casa, estamos preparando material para poder trabalhar com o Clube dos Desbravadores e Aventureiros. Também estamos preparando coisas para trabalhar cada uma em sua área. E isso está nos ajudando, pois nossa missão já começou. Nós já estamos em missão”, relata Francisca.

Missão em qualquer lugar

Suely Gio, professora de inglês em uma escola adventista do Cairo, no Egito, está há 11 meses como voluntária no país. Ela e seus colegas idealizaram formas criativas de poder continuar ensinando seus alunos.

“O que fizemos desde o mês de março, quando todas as escolas foram fechadas, foi começar as aulas virtuais, nas quais enviávamos o programa regular das crianças por vídeo e por PDFs. Dentro dessas informações, também enviávamos áudios de oração pelas famílias de cada aluno”, comenta.

Cuidado com os voluntários

Os 121 voluntários em missão estão sendo bem cuidados. Isso é o que o pastor Joni Oliveira, diretor do Serviço Voluntário Adventista para oito países da América do Sul, expressa. “Nosso trabalho é acompanhar nossos voluntários, desde o momento em que eles saem para servir, enquanto estão servindo e até o momento de seu regresso”, ressalta.

“Nós rapidamente fizemos um protocolo para que eles pudessem seguir e, assim, manter-se seguros. Outra ação foi disponibilizar psicólogos para que eles pudessem cuidar dos voluntários que mais precisavam de ajuda. Além disso, para aqueles cujo tempo de serviço terminou, mas, devido à situação do fechamento de fronteiras, não puderam regressar, nós também estendemos seu seguro de vida”, concluiu o líder sul-americano.

Apesar da situação atual, a missão dos voluntários continua com as devidas medidas de segurança contra o coronavírus. O diretor mundial do SVA, pastor Elbert Kuhn, relembra sobre o chamado para ser voluntário nestes tempos. “Somos chamados para um propósito. E esse propósito é servir, compartilhar esperança e nos permitir ser como uma ponte conectando nossa mensagem às pessoas que não conhecem a esperança, o amor de Deus”, amplia.

Veja vídeo

*Com informações de Notícias Adventistas

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se