27.7 C
Vitória
sábado, 13 abril 2024

Mirna Borges: Finanças, planejamento e controle

A educadora Mirna Borges ressalta que a principal causa das dívidas é gastar mais do que se ganha. Uma alternativa, além de economizar, seria ter uma renda complementar. Foto: arquivo Comunhão

Uma das principais influenciadoras de finanças no Brasil, Mirna Borges, dá dicas para ter uma vida mais próspera com o dinheiro, através de princípios bíblicos

Por Priscilla Cerqueira

Finanças, planejamento e controle. Como você administra o dinheiro que ganha? É possível ter uma vida mais próspera, seguindo os princípios bíblicos financeiros.

Partindo de um investimento mal feito com um dinheiro que recebeu, a capixaba Mirna Borges resolveu estudar sobre finanças, se apaixonou pelo assunto e resolveu ajudar as pessoas a não cair no mesmo erro que ela.

Com vídeos sobre finanças, como controlar o orçamento de forma eficaz e investimentos, a engenheira, Coach e Educadora Financeira, que também é cristã, criou, há quatro anos, o “Economirna”, um canal do Youtube que conta hoje com mais de 1,1 milhão de inscritos.

- Continua após a publicidade -

Seu objetivo é ajudar as pessoas a realizarem seus sonhos através da educação financeira. Para ela, é preciso cuidar e ganhar dinheiro com base nos preceitos de Deus. “Mostro que é possível ter uma vida próspera e também orientada pela Palavra”, afirma.

Mirna, que é uma das principais influenciadoras de finanças no Brasil concedeu entrevista exclusiva à Comunhão, onde desmistifica conceitos sobre finanças, tira dúvidas e ensina a investir e a gerenciar o dinheiro de forma inteligente, de um jeito simples e fácil de entender, mesmo que a pessoa não tenha nenhum conhecimento. Confira!

Você tem um canal e um blog chamado ‘Economirna’, que ajuda pessoas a realizarem sonhos através da educação financeira e que ganhou proporções gigantescas. Como surgiu esse projeto e como alcançou esse sucesso?

O Canal surgiu em abril de 2016 para ensinar as pessoas a cuidarem melhor do dinheiro e aprenderem a multiplicá-lo. Eu estava trabalhando fora do Brasil e depois de um ano fui transferida para o país. Tinha que transferir meu dinheiro, chegando aqui a gerente do banco me ligou para investir a grana que estava parada na minha conta corrente. Ela me ofereceu um monte de produtos, eu não entendi nada e acabei aceitando todos. Comecei a estudar sobre o assunto e descobri que tinha feito péssimas escolhas para o meu dinheiro.

Ninguém melhor do que nós mesmos para cuidarmos do nosso dinheiro. Me apaixonei pela educação financeira, e depois de um tempo, veio a vontade de ajudar outras pessoas que poderiam estar na mesma situação que eu um dia estive. Foi daí que surgiu a ideia de criar um canal no Youtube, com o objetivo de dividir erros e acertos que eu tinha feito com outras pessoas para que elas não fossem enganadas.

Mirna Borges: Finanças, planejamento e controle

Em seu canal, você fala muito em investimento. Como podemos usar isso a nosso favor e ao mesmo tempo, contribuir para o crescimento do reino?

A Bíblia deixa claro através da parábola dos talentos que nós devemos multiplicar o que nos foi confiado. Então investir nada mais é que multiplicar o dinheiro. O bom administrador multiplica o que lhe foi dado, sabe plantar a semente, frutifica e ainda doa para os pobres e necessitados, usa como oferta para ajudar o reino e ainda tem sementes para plantar mais árvores. Esse é o ciclo da provisão divina. É preciso entender como funciona as finanças para podemos nos beneficiar dele e ainda ajudar outras pessoas para que elas se beneficiem também desse ciclo.

Qual a sua inspiração de ‘influência’ para o seu trabalho?

A minha principal influência é o único que é perfeito, Jesus Cristo, é com Ele que eu aprendo e tento melhorar todos os dias para buscar a semelhança.

Todos os especialistas em economia são unânimes em dizer que reduzir as dívidas e os gastos são necessário para manter a saúde do bolso em meio à crise. Como ter esse controle financeiro?

Temos sempre que pensar em gastar menos do que ganhamos e reduzir os gastos supérfluos e economizar, mas entendendo que não é só de economizar que vive o homem. Podemos pensar em alternativas de ganhar mais dinheiro para não viver sempre contando os centavos. É possível gerar uma renda extra, abrir um negócio próprio, ou fazer uma atividade paralela pra não depender somente de uma fonte de renda.

Mirna Borges: Finanças, planejamento e controle

Preço e lucro equilibram a economia e forçam pessoas a fazerem o certo e focar na necessidade dos outros, o problema é o ‘amor excessivo’ ao dinheiro que, segundo a Bíblia é a raiz de todos os males. Como nós, cristãos devemos tratar o lucro?

Temos que nos tornar vigilantes em relação ao dinheiro, para que não caiamos na tentação do amor ao dinheiro, da ganância, de querer sempre mais, e não ter limites. Para o cristão é importante traçar um limite de ‘até que ponto você quer chegar, e quanto quer juntar’ e à medida que for ficando mais bem-sucedido na carreira, e for ganhando mais, que você possa ser mais generoso na doação, até mesmo não limitar o dízimo em 10%.

O que é ter “sabedoria financeira” para realização de sonhos? E como podemos usar isso para contribuirmos para a obra de Deus?

Primeiro de tudo precisamos entender que somos mordomos de Cristo, que tudo é d’Ele e temos que fazer uma boa administração dos recursos que Ele nos deu. Também precisamos ter clareza dos nossos sonhos de curto, médio e longo prazo e em cima disso traçar um plano de ação para realizá-los, como começar a poupar e investir nesses objetivos. Se não seguirmos um planejamento futuro, vamos consumir tudo de uma vez e acabar nos endividando.

Mirna Borges: Finanças, planejamento e controle

A Bíblia também aborda sobre a fidelidade nos dízimos e ofertas. Isso tem relação direta com a vida financeira equilibrada também?

Dizimar é uma forma de honrar o Senhor por todos os recursos que recebemos. Entendo que 10% é o mínimo que podemos contribuir. Quando um cristão dizima, ele deixa claro que o seu coração não está no dinheiro, pois não está retendo tudo para si, mas está fazendo com que esse dinheiro abençoe outras pessoas. Ofertar é uma forma de evitar o
amor ao dinheiro.

A Bíblia orienta sobre ‘Finanças, planejamento e controle’, porém, muitas pessoas, inclusive cristãos, não levam a sério e por isso não tem sucesso nesta área. Dirigir a nossa vida baseada nos valores de Deus é o segredo do sucesso?

Dirigir a nossa vida baseada nos princípios de Deus é o fato primordial para o que um cristão busca, pois não estamos nessa terra almejando sucesso financeiro ou felicidade na família e sim, buscar a nossa salvação e semelhança em Cristo.

Claro que os princípios financeiros bíblicos devem ser cumpridos por nós porque entendemos que somos administradores de Cristo e o que plantamos, colhemos. Não somos merecedores de absolutamente nada, Deus é que é misericordioso conosco. O verdadeiro sucesso é aquele que a gente busca visando cumprir a Palavra de Deus aqui na terra.

A saúde financeira mal gerida interfere na ‘felicidade’ das pessoas. Então quais os princípios, segundo a Palavra de Deus para sair das dívidas, investir, e começar um ano novo tendo uma vida mais feliz, sendo bem-sucedido em todos os aspectos?

O primeiro princípio é o da mordomia, entendendo que Deus é o provedor de tudo e que nós somos apenas administradores do que Ele nos confiou. O segundo princípio é o do trabalho.

‘Tudo quanto fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor e não para os homens, sabendo que receberão do Senhor a recompensa da herança. É a Cristo, o Senhor que vocês estão servindo’ (Colossenses 3:24-25). O trabalho foi estabelecido para o nosso benefício e molda o nosso caráter. Outro princípio é: evite fazer dívidas. A Palavra de Deus exorta em Romanos 13:8: ‘A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei’.

Outro princípio bíblico é ter uma reserva, ou seja, poupar, pois não sabemos o dia de amanhã. ‘Observe a formiga, preguiçoso, reflita nos caminhos dela e seja sábio! Ela não tem nem chefe, nem supervisor, nem governante, e ainda assim armazena as suas provisões no verão e na época da colheita ajunta o seu alimento’. (Provérbios 6:6-8).

Que nós não sejamos tolos em esgotar todos os recursos que nos foi concedido por Deus. O quinto princípio é o da contribuição. Assim diz a Bíblia em Atos 20:35: ‘Mais bem-aventurado é dar que receber’. Temos que lembrar que na economia de Deus a motivação é mais importante do que a quantia, porque Ele nos amou. Além do amor, temos que ter alegria em contribuir.

Mirna Borges: Finanças, planejamento e controle

‘Cada um contribua segundo o seu coração, não com tristeza ou por necessidade, porque Deus ama quem dá com alegria’. (2º Coríntios 9:7 e 8). A contribuição é uma das responsabilidades que temos como mordomos. Cristo tem um caráter doador, então quanto mais contribuímos, mais estamos próximos do caráter de Jesus.

Outro princípio é o do contentamento, pois é importante que estejamos contentes em qualquer situação e que saibamos viver com pouco, e não nos desviemos nem para a direita e nem para esquerda do que Deus quer para nós. Servimos a um Deus dinâmico, de crescimento, então, temos que buscar melhorar nosso caráter, nossa profissão e na nossa família. Nós damos o nosso testemunho, então precisamos maximizar fielmente os talentos e posses que Deus nos confiou.

Outro princípio é o da honestidade. ‘O Senhor odeia os lábios mentirosos, mas se deleita com os que falam a verdade’. Provérbios 12:22. Deus é um Deus de verdade, então não é possível ser desonesto e amar a Deus. Temos que buscar ter uma vida reta e dar um bom testemunho. Não adianta ter dinheiro se não for de forma honesta. Não existe dinheiro fácil e nem dinheiro rápido na Bíblia, E o Senhor honra aqueles que cumprem os seus mandamentos.

Boa parte dos conteúdos que você publica é voltado para o público cristão, através do ‘Estudo bíblico financeiro’. Há diferença, tanto na linguagem quanto na orientação financeira para uma pessoa evangélica?

A linguagem é basicamente a mesma que uso para falar com o público em geral, mas para os evangélicos mudo a forma de explicar o conteúdo, pois nós, cristãos, já entendemos que tudo é do Senhor. Então falar de dízimos e ofertas é muito mais simples do que falar para um público que não tem nenhuma afinidade ou que não entenda que tudo pertence ao Senhor. Eu pego os ensinamentos da Palavra de Deus e falo voltado para a área financeira, sobre como podemos aplicar os princípios bíblicos na prática na nossa vida financeira.

Há cursos sobre finanças voltados para os evangélicos na internet que ensinam igrejas a sair do vermelho, acertar as contas e ter uma vida próspera. Como coach financeira desde 2016, cada vez mais as igrejas estão preocupadas com as finanças?

Cada vez mais vemos a preocupação das igrejas em educarem os irmãos para que entendam a importância do dinheiro em suas vidas e saibam entender que é possível ter uma boa relação com o dinheiro, aprender a dizimar, ofertar, cuidar e multiplicá-lo. Percebo que muitas vezes o dinheiro é visto como uma maldição, ou algo ruim e sujo nas igrejas. Porém isso não é o que a Bíblia nos ensina.

Mostrando através de princípios bíblicos como deve ser administrada a vida financeira, isso traz muito mais paz para que eles possam lidar com dinheiro e se tornem bons administradores do Senhor, porque somos apenas mordomos, nada do que temos é nosso, e sim de Deus.

O Brasil é um país de endividados, ao menos 66% da população está inadimplente, segundo a Confederação Nacional do Comércio, vemos isso principalmente em economias emergentes. Isso é um problema grave e pode aumentar ainda mais com a pandemia. Qual a raiz desse grande endividamento das famílias?

O brasileiro não foi educado para formar uma poupança. Muitos são imediatistas, querem comprar uma geladeira agora e vão dividir por doze meses, sem saber o que pode acontecer amanhã. Não focam em ter uma reserva de emergência, que é um valor que temos que ter guardado para possíveis imprevistos e quando ele chega, a pessoa está com o orçamento todo comprometido, não tem de onde tirar e acaba se endividando, não consegue pagar as prestações e acaba tendo que recorrer a crédito muito mais caro no mercado.

Quanto mais educação financeira for disseminada, as pessoas vão entender a importância de viver um padrão abaixo do que se ganha, a importância de se pagar primeiro, juntar a parte para formar uma reserva.

Finança pessoal é um assunto delicado e difícil. Do ponto de vista cristão, como as igrejas podem trabalhar esse assunto de forma que ajudem seus membros a terem o tão sonhado equilíbrio financeiro?

As igrejas podem ofertar cursos como, por exemplo, da Universidade da Família, que tem um específico sobre finanças à luz da Bíblia, que é o Crown. É uma alternativa para que os membros da igreja tenham informações sobre os princípios bíblicos de finanças, como cumpri-los, além de aprender a administrar melhor o dinheiro.

A maneira como lidamos com o dinheiro é uma demonstração externa de uma condição espiritual interna? Por quê?

Sim. Quando entendemos o que o dinheiro representa e os princípios financeiros bíblicos, que estão retratados nas Escrituras Sagradas, começamos a agir como servos, administradores de Cristo, e passamos a entender que o dinheiro pode trazer bênçãos. Vejo muitos cristãos se endividando e acabam virando refém da dívida, não tendo mais a liberdade que teriam para que o Senhor pudesse lhe dar da melhor forma com esse dinheiro. Daí a importância de aplicar os princípios financeiros na nossa vida.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -