25.1 C
Vitória
terça-feira, 20 abril 2021

Mianmar: Golpe militar pode acirrar perseguição aos cristãos

Na manhã de 1º de fevereiro, o líder de Mianmar, Aung San Suu Kyi e outros 22 membros do mesmo partido foram detidos pelos militares que declararam um ano de estado de emergência no país

A tomada de poder pelos militares de Mianmar pode levar a blecautes de notícias, restrições cada vez maiores à Igreja e um ressurgimento do sentimento pró-budista. É que a presidência foi interinamente assumida pelo vice-presidente Myint Swe, nomeado para esse cargo pelas Forças Armadas.

“O governo militar pode significar um poder reforçado para a religião dominante. O governo militar do passado sempre protegeu sua cultura e tradição budista. Isso pode ter sérias implicações para a Igreja. Esperamos que as restrições à Igreja ocorram mais uma vez, embora não tenhamos certeza da extensão e da forma que ela assumirá até o momento”, disse o parceiro local do Portas Abertas.

O missionário da instituição, que não pode ser identificado por segurança, descreve esse retorno à junta como possivelmente ainda mais poderoso do que antes, antes do início da democracia.

“A incapacidade dos militares de aceitar a derrota nas urnas foi apenas a faísca necessária para que os militares voltassem ao poder. Uma vez que os militares tenham controle total do país, pode haver um apagão total de notícias. O corte imediato das linhas telefônicas e da conexão com a internet esta manhã é apenas uma prévia do que pode acontecer. A situação política e econômica é muito instável e volátil agora. Não há como dizer quanto tempo a crise vai durar”.

Uma igreja de joelhos

O Mianmar está na 18º posição na Lista Mundial da Perseguição, que classifica os 50 países que mais perseguem cristãos no mundo. Por conta dessa situação, os cristãos locais não fazem outra coisa a não ser orar.

À medida que a conectividade se torna um pouco mais viável, relatórios de contatos da igreja local do Portas Abertas está enfraquecendo. “Os pastores estão advertindo seus membros a orar e interceder pelo país em suas casas. Em áreas menos restritas, alguns pastores e membros se reuniram em oração em suas igrejas. Há a confiança de que o Espírito Santo dará sabedoria aos líderes da igreja para um momento como este.”, compartilha o missionário.

*Com informações de Portas Abertas

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se