20 C
Vitória
sexta-feira, 23 abril 2021

“Volta, pai”, a mensagem que comoveu o Brasil

Internado há 44 dias no hospital, em Porto Alegre (RS), o agricultor Alvaro Bernardes Camargo, 63 anos. A angústia por uma notícia sobre o estado de saúde do pai, o filho escreve uma mensagem especial no gramado de casa

Em Palmares do Sul, no Rio Grande do Sul, um homem resolveu fazer uma homenagem ao pai, que está internado há 44 dias por covid-19. A angústia por uma notícia sobre o estado de saúde do agricultor, Alvaro Bernardes Camargo, 63 anos, o filho filho escreveu no gramado de sua casa: “volta, pai”

A foto, que foi publicada nas redes sociais, emocionou a web. “Eu escrevi cortando grama. A gente ficava esperando o boletim médico. Foi num dia em que eu estava esperando e deram a notícia de que não tinham conseguido tirar o tubo dele. Daí é muito choro, desespero, muito complicado esses 24 dias que ele ficou entubado. Escrevi na grama, em letras grandes, pra dar uma força, passar uma energia boa para ele”, disse Afonso Schifino Camargo.

Alvaro testou positivo para a doença no início de novembro, deixou a UTI no dia 21 de dezembro, mas segue no hospital. Com uma máquina de aparar grama, o filho escreveu “Volta Pai” no gramado e um amigo fez o clique do alto.

“Quando ele viu a foto da grama se emocionou. Minha irmã, que estava com ele, me ligou e ele falou poucas palavras: ‘muito obrigado, filho’. Fiz aquele escrito todo torno, sem muito planejamento, mas a mensagem deu certo”, contou Afonso ao G1.

Internação

Pai de quatro filhos, avó de três netos, e casado há 37 anos com a Alzira Schifino Camargo, de 63 anos, Alvaro planta arroz e soja em Capivari do Sul. O filho conta que o pai precisou ser internado no dia 13 de novembro e logo foi entubado, mas apresentou melhoras depois que a família conseguiu uma permissão para ver ele, mesmo na UTI.

“Isso prova que a nossa presença ao lado dele é muito importante. Essa doença, o coronavírus, tem os protocolos que os familiares não podem ficar perto, isso dificulta muito”, disse.

Ainda em recuperação, Alvaro se comunica com dificuldade, mas já pode receber a visita de familiares. “Hoje (domingo, 27), eu estou aqui com ele. Não se lembra de muita coisa da UTI, lembra do dia que estava sem oxigênio. Disse que foi meio complicado, foi faltando ar, e até achou que poderia morrer”, conta Afonso.

*Com informações do G1

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se