Ministro da Educação esclarece envio de carta às escolas

Foto: Reprodução

Ministério da Educação enviou um e-mail para escolas pedindo a leitura de uma carta do ministro, seguida da execução do Hino Nacional. Crianças seriam filmadas durante o ato.

Nesta terça-feira (26), o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, fez um pronunciamento à imprensa reconhecendo que errou ao pedir que as escolas filmassem as crianças cantando o Hino Nacional, sem a autorização dos pais.

“Eu percebi o erro, tirei essa frase, tirei a parte correspondente a filmar crianças sem a autorização dos pais. Evidentemente, se alguma coisa for publicada, será dentro da lei, com autorização dos pais”, declarou.

O Ministério da Educação (MEC) enviou um e-mail nesta segunda (25) para as escolas do país pedindo a leitura de uma carta do ministro, na qual ele orienta os responsáveis pelas escolas para que seus alunos executem o Hino nacional. E pedia também que o ato fosse filmado e enviado para o órgão.

A carta é encerrada com as frases “Brasil acima de tudo” e “Deus acima de todos”, que foram o slogan da campanha do presidente Jair Bolsonaro nas eleições.

O pedido foi alvo de críticas de educadores e órgãos que representam a classe no país. “Isso é ilegal, o MEC não tem competência para pedir nada disso às escolas”, diz o diretor da Associação Brasileira de Escolas Particulares (Abepar), Arthur Fonseca Filho.

Nova carta

Por nota, o MEC informou que vai enviar ainda nesta terça (26) a escolas do país uma carta atualizada do ministro para que seja lida pelos responsáveis pelas instituições de ensino de forma voluntária no primeiro dia letivo deste ano.

“A carta a ser lida foi devidamente revisada a pedido do ministro, após reconhecer o equívoco, tendo sido retirado o trecho também utilizado durante o período eleitoral”, informa a nota do MEC.

Segundo o MEC, o e-mail a ser enviado com a nova carta pede que, após a leitura da mensagem do ministro, professores, alunos e demais funcionários da escola fiquem perfilados diante da bandeira do Brasil, se houver na unidade de ensino, e que seja executado o Hino Nacional.

*Com informações das agências e do MEC


Leia mais

MEC: foco na alfabetização e em escolas militares
MEC muda oferta de disciplinas dos cursos presenciais
MEC anuncia reforma na formação de professores