back to top
23.9 C
Vitória
domingo, 23 junho 2024

Mais de 100 universitários cristãos são presos na Eritreia

Foto: Reprodução

O grupo estava reunido em um local, que foi invadido pelos policiais, para adorar o Senhor e gravar videoclipes para as redes sociais

Por Patricia Scott 

Na Eritreia, um grupo de 103 universitários cristãos foram presos pela polícia. Eles estavam reunidos em um local, que foi invadido pelos policiais, para adorar o Senhor e gravar videoclipes para as redes sociais.

O caso ocorreu na capital, Asmara. Os detidos foram levados para a prisão de Mai Serwa, que é conhecida por possuir duras condições, superlotação, além de oferecer tratamento inadequado aos internos.

Violações aos direitos humanos

No país, atualmente, existem mais de mil prisioneiros cristãos detidos indefinidamente sem julgamento. Muitos prisioneiros foram presos por motivos políticos. A Eritreia ocupa o 4° lugar na Lista Mundial da Perseguição 2023.

- Continua após a publicidade -

Nesse sentido, o país é um dos piores violadores da liberdade religiosa na África. Embora ocasionalmente liberte prisioneiros, muitos cristãos e outras minorias religiosas são mantidos em condições abismais.

A União Europeia, em 2021, sancionou a Eritreia por suas “graves violações dos direitos humanos, em particular prisões arbitrárias, execuções extrajudiciais, desaparecimentos forçados de pessoas e tortura cometida por seus agentes”. Sobreviventes de vários campos de prisioneiros da Eritreia relatam os piores abusos imagináveis, incluindo tortura severa e alojamentos grosseiramente desumanos.

Cristãos enfrentam desafios

Segundo relatórios internacionais, nos últimos 10 anos, milhares de cristãos foram presos arbitrariamente na Eritreia devido à fé em Jesus. Isto significa que eles tiveram direito à defesa e a um julgamento adequado. No entanto, em muitos casos, o preço para a liberdade é renunciar a Cristo. Vale salientar que aqueles que permanecem firmes na fé em Cristo enfrentam tortura, fome e escassez de medicação nos presídios. Isto porque são considerados cidadãos de segunda classe.

Outro tipo de perseguição enfrentada pelos cristãos é a opressão islâmica. Essa comunidade corresponde, atualmente, à metade da população eritreia. Muitos muçulmanos buscam uma convivência pacífica. Em contrapartida, entre ele há os extremistas. Eles acreditam que aqueles que não seguem o islã devem ser eliminados. Essa postura ‘empurrou’ os cristãos para viverem no interior do país.

Na Eritreia, a igreja continua crescendo mesmo diante de tantas dificuldades. Os cristãos enfrentam a oposição com coragem e amor em Cristo.

Com informações de International Christian Concern e Portas Abertas

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -