17.7 C
Vitória
quarta-feira, 5 agosto, 2020

Reino Unido – Magistrado cristão demitido por opinião

Leia também

PIB contraiu 11,2% no 2º trimestre de 2020

Em relação ao segundo trimestre de 2019, a queda na atividade econômica apontada pelo IAE foi de 11,7%

Esperamos que agosto seja o pico da covid-19 nas Américas, diz Jarbas Barbosa

Durante a coletiva, o diretor-assistente da Opas comentou o fato de que o padrão de transmissão da doença na América Latina tem se mostrado distinto da Europa

Brasil: Prefeitos se unem em campanha de combate à covid-19

Iniciativa é da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), que negociou com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorização especial para veicular comunicação sobre a doença em jornais, sites, rádios e na TV durante toda a pandemia

“Estou profundamente desapontado pelo fato de o tribunal ter decidido que dizer que uma criança se sairá melhor com uma mãe e um pai é motivo apropriado para ser demitido”

Richard Page, magistrado do Reino Unido, perdeu seu cargo para declarar publicamente que seria melhor que uma criança fosse adotada por um homem e uma mulher. “Isso mostra que agora estamos vivendo em uma sociedade profundamente intolerante”, disse Page.

Um Tribunal de Apelos ao Emprego, no Reino Unido , negou provimento ao recurso do ex-magistrado do Exército, Richard Page, contra a decisão do Lord Chancellor e do Lord Chief Justice de retirá-lo de seu cargo. Page perdeu o cargo em 2015, após 15 anos de serviço, ao declarar publicamente que seria melhor que uma criança fosse adotada por um homem e uma mulher. Mais tarde, ele também perdeu a posição de diretor não-executivo do Kent e do Medway NHS Trust, após ter expressado a mesma opinião durante uma entrevista à Radio 4 da BBC.

O ex-magistrado apelou de sua demissão com base em discriminação e vitimização por causa de sua fé cristã. “Limitação Proporcional sobre seu Direito à Liberdade de Expressão”. No entanto, em uma audiência, o Employment Appeal Tribunal rejeitou o caso de Page contra o NHS Trust, determinando que não era a crença de Page, mas o fato de que ele expressou sua crença que levou à sua remoção. “Embora os juízes não estejam impedidos de falar sobre questões de controvérsia, se optarem por fazê-lo, não devem minar a imparcialidade judicial ou o respeito pelo judiciário”, afirmou o juiz Choudhury. Além disso, a sentença disse que a remoção de Page de magistratura era “uma limitação proporcional de seu direito à liberdade de expressão e, como tal, seria considerada necessária em uma sociedade democrática para manter a autoridade ou imparcialidade do judiciário”.

“Sociedade profundamente intolerante”

“Estou profundamente desapontado pelo fato de o tribunal ter decidido que dizer que uma criança se sairá melhor com uma mãe e um pai é motivo apropriado para ser demitido como magistrado e como diretor de um fundo do NHS”, declarou Page após o apelo. E acrescentou: “Eu também estou desapontado que o Sr. Justice Choudhury acredita que este ponto de vista pode ser separado da minha fé cristã”. “Isso mostra que agora estamos vivendo em uma sociedade profundamente intolerante , que não suporta qualquer discordância de pontos de vista politicamente corretos, mesmo dos juízes. Espero que possamos apelar dessa decisão e restaurar a liberdade de expressão em todo o país”, concluiu.

“VIOLAÇÃO GRAVE DA LIBERDADE DOS CRISTÃOS”

De acordo com Andrea Minichiello Williams, diretor executivo do Christian Legal Centre, que apoiou o Sr. Page em seu julgamento, “este caso revela desenvolvimentos assustadores em nossa sociedade. O julgamento demonstra uma total falta de compreensão do que significa ser cristão e o que significa viver a sua fé na esfera pública”. “Ainda mais perturbador é a sugestão de que simplesmente manter a crença é suficiente para constituir uma violação de seu juramento judicial. Se confirmado, isso exclui os cristãos conscientes e informados de manter posições judiciais”, disse ela. Minichiello advertiu que “esta decisão é uma violação grave da liberdade dos cristãos de expressar seus pontos de vista, mostrando uma profunda intolerância para os cristãos que estão preparados para dizer o que acreditam na vida pública”.

O Centro Jurídico Cristão disse que Page estaria procurando recorrer das decisões do tribunal.

*Com informações da Evangelical Focus.


leia mais

Não à intolerância religiosa e à discriminação

- Continua após a publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Helena Tannure e Alda Célia no Congresso Vitoriosas

É a terceira edição do evento, que é voltado para mulheres. O tema do Congresso Vitoriosas 2020 será Transformadas. Saiba mais! 

Lagoinha abre curso Linhas de ensino; Saiba mais!

As aulas das turmas do primeiro módulo do Curso Linha de ensino se iniciam a partir de 17 de agosto. Saiba mais!

Fórum literário: O absurdo, a esperança e mais além

Realizado desde 2016, o Fórum literário é um curso para peregrinar nos caminhos da arte e da fé cristã. Evento, que será online, começa hoje, 27. Saiba mais aqui! 

Marcha pra Jesus é cancelada em São Paulo

Por causa do coronavírus a prefeitura de São Paulo cancelou a Marcha para Jesus. O maior evento cristão do mundo ocorreria em 02 de novembro deste ano

Plugue-se

Amanda de Sá feat Sanderson Moraes “Nossa bandeira”

Nossa bandeira é o terceiro lançamento da artista pela Sony music desde que venceu o festival de Música Eagle, edição ES, em setembro do ano passado

Faces da perseguição: o preço de viver pela fé

Viver pela fé em meio a perseguição. Na séria faces da perseguição, mostra a história do pastor Jean Marc, que enviou a família para um esconderijo no Congo, mas ficou na República centro-africana por causa da igreja. Saiba mais!

Max Weber: Economia e religião estão interligadas?

No livro "A ética protestante e o espírito do capitalismo", o sociólogo alemão, Max Weber, se debruça em um estudo minucioso sobre as religiões e o sistema econômico do século XX

Vida após a morte em “O Céu é de Verdade”

"O Céu é de verdade" foi sucesso de bilheteria nos Estados Unidos, conta a história de uma criança que visita o paraíso em uma experiência de “quase morte”