Maduro admite fracasso na crise da Venezuela

Foto: Miguel Gutierrez/Agência Lusa

Presidente disse que vai precisar de dois anos para apresentar resultados do plano de recuperação proposto.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, reconheceu sua “responsabilidade” na grave crise econômica que aflige o país. Ele disse que vai precisar de dois anos para “conseguir” uma recuperação com “alto nível de estabilidade”.

“Os modelos produtivos que até agora temos testado fracassaram e a responsabilidade é nossa, é minha, é sua. Precisamos levar para frente o poder econômico que temos”, disse Maduro em um congresso do governista Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), na noite desta segunda-feira.

O governo socialista estatizou setores como o do cimento e do aço, expropriou centenas de empresas. Entre elas, cadeias de supermercados. E mais recentemente militarizou mercados municipais em uma cruzada contra a alta dos preços.

O governo ainda fixa alguns preços e monopoliza as divisas por meio de um controle de câmbios. “Calculo uns dois anos para alcançar um alto nível de estabilidade e podemos vermos os primeiros sintomas da prosperidade nova, econômica, sem abandonar por um segundo a proteção e segurança social”, afirmou Maduro.

Com frequência, o governo venezuelano atribui o fraco desempenho da sua economia a uma “guerra” liderada pelos Estados Unidos junto a fatores de oposição interna e da região. Ontem, Maduro pediu aos seus ministros que troquem as desculpas por resultados.

*Com informação da Agência Brasil 


Leia mais

Pós reeleição, EUA impõem sanções econômicas à Venezuela
Venezuela – Eleições são contestadas por 14 países
Pastores da Venezuela pedem oração pelo país em carta
População venezuelana clama misericórdia de Deus durante crise