23.9 C
Vitória
sábado, 27 novembro 2021

Mulheres e a luta pela igualdade feminina

No dia Internacional da Igualdade feminina trás a tona a luta pela igualdade das mulheres. Mas lembres-se, que “ser mulher é ser um canal de bênçãos”, afirma Sara Lima, Líder do ministério da Mulher da Igreja Adventista

Agosto é um mês muito importante na história das mulheres. Além de ser caracterizado como ‘Agosto Lilás’ e de relembrar a Lei Maria da Penha, o combate à violência contra mulher, mês traz também o ‘Dia Internacional da Igualdade feminina’, que é celebrado nesta quarta-feira, 26.

As mulheres têm níveis de escolaridade mais elevados, têm o dom de fazer mais de uma tarefa ao mesmo tempo, são ensinadas desde pequenas à realizarem tarefas domésticas, são mais organizadas e estão chefiando famílias, cada vez mais, no Brasil.

Mesmo diante de tantas qualidades, ainda há uma grande diferença imposta na sociedade, em cargos de evidência e também em cargos políticos.

Conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as mulheres continuam sendo desvalorizadas no local de trabalho, ganhando financeiramente, menos que os homens e ocupando os mesmos cargos. É por esse motivo e, tantos outros, que é necessário ter dias dedicados a igualdade feminina.

O Dia Internacional da igualdade feminina traz à tona, as leis e a forma em que as políticas públicas estão sendo engajadas na sociedade como um todo, para que a igualdade de oportunidades entre homens e mulheres seja uma realidade.

Mulher e seu valor

A Bíblia como um todo revela que as mulheres também possuem seu espaço e valor. Ao olharmos para o passado, vemos na história que a mulher era considerada um ser de segunda categoria e de pouco ou nenhum valor. Ao longo da trajetória, acompanhamos a luta da mulher para conquistar o respeito e seu espaço na sociedade.

Hoje, nos deparamos com ela desempenhando diversos papéis: estuda, trabalha, ocupa cargos de liderança, educa, cuida do lar… São inúmeras tarefas. Mas, por outro lado, esta busca pelas conquistas tem gerado consequências preocupantes.

Mulheres com propósito

A líder do Ministério da Mulher da Igreja Adventista para os estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, Sara Lima, lembra que Deus trouxe a mulher para um propósito.

“Ele nos deixou um grande exemplo, veio para cumprir uma missão. Veio morrer pelos nossos pecados, para nos ensinar que devemos viver para servir e não para ser servido. Então é preciso descobrir qual é sua missão. Você não está aqui de passagem, mas para também fazer a diferença na vida de outras pessoas. Seja você um canal de bênçãos. Isto é ser mulher”, afirma.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se