27.1 C
Vitória
sexta-feira, 28 janeiro 2022

Luiz arcanjo: 30 anos de história na música gospel

Respeitado no meio evangélico e um exímio colecionador de canções de sucesso no Brasil, conheça a trajetória consolidada de 30 anos de Luiz Arcanjo!

Por Priscilla Cerqueira

Nome respeitado no meio evangélico, um exímio colecionador de composições que fizeram e fazem sucesso até hoje no Brasil, suas inúmeras canções foram gravadas nas vozes de grandes artistas nacionais. La se vão 30 anos de uma carreira consolidada na musica gospel. Esse nome é Luiz Carlos da Silva, mais conhecido como Luiz Arcanjo.

Um multiinstrumentista! Envolvido com a música desde a infância, ele aprendeu a tocar violão aos 12 anos, estudou guitarra, violão clássico e popular, tocou clarinete na banda marcial da igreja e sempre foi grande entusiasta da presença da cultura brasileira na música evangélica. Aos 22 começou a atuar como ministro de louvor na Igreja do Evangelho Quadrangular em Nova Iguaçu (RJ).

Foi influenciado por vários artistas evangélicos de notoriedade nas décadas de 70/80. Em 1998, ganhou seu primeiro prêmio como compositor em um Festival. Em 2002 integrou o Ministério Apascentar, que mais tarde passou a se chamar “Toque no Altar”. Com o grupo, juntamente com o cantor Davi Sacer, foram várias composições de sucesso.

Em 2007 a banda mudou de nome para “Trazendo a Arca”. Ali também iniciava sua carreira solo paralela, com influência de gêneros brasileiros. Seu primeiro álbum solo foi lançado em 2009, que trouxe os sucessos Samba pra Deus, Amor pra Dizer e Gadara é Assim, com a participação do Pregador Luo.

Eternas canções e Nova fase

Na boca do povo suas canções estão canções eternizadas como “Tua graça me basta”, “Restitui”, “Abro mão dos meus sonhos” e “Bendita será tua casa”. Dono de tantas músicas de sucesso no mercado gospel, o artista se sente “honrado” por Deus. “O Senhor nos deu tantas canções de êxito que impactaram essa nação, que eu nem saberia dizer qual delas mais me marcou, mas sou feliz por tantas composições”, declara.

Exercer o ministério com a verdade é o que move o artista a cantar e ministrar há tanto tempo. “Meu objetivo é ser aquele que atrai a presença do Senhor e ver o reino de Deus sendo expandido através do dom e do talento que Ele nos deu. Quero ser aquele que toca a trombeta para que os céus se abram. Quero ser sensível a ponto de ouvir os céus e transmitir o que estão dizendo através de canções.

Em novo momento na carreira, recentemente Arcanjo assinou contrato com a gravadora Central Gospel Music. “Estou muito feliz de estar numa casa onde a gente se sente acolhido e onde nossa história é valorizada. Estou com uma expectativa muito boa. Espero contribuir para o crescimento dessa casa e tenho certeza de que nós vamos crescer aqui também”, disse o cantor.

Bastante entusiasmado com a nova fase, Luiz adiantou novidades sobre seu primeiro projeto pela gravadora. “Tenho um álbum de música congregacional que vai ser produzido pelo Kleyton Martins e, antes do fim do ano, vamos lançar uma ou duas músicas”, afirma Arcanjo, que retorna ao estilo que marcou sua carreira desde o início.

 

Trazendo a Arca

Falar de Luiz Arcanjo é lembrar do ministério Trazendo a Arca, a qual o artista ficou ainda mais conhecido no meio gospel. O grupo, na qual Arcanjo é o líder, está em período sabático desde abril de 2019. “Estávamos há 20 anos na estrada sem parar, e sobrecarregados de trabalho, então decidimos parar para descansar”, disse na época. Embora esteja parado, o artista deixa claro seu carinho especial pelo grupo. “É uma família apesar de nossas diferenças! Somos amigos há bastante tempo e irmãos na fé”, destacou.

Entre tantos momentos marcantes, Arcanjo relembra a gravação do CD “Marca da promessa”, no Rio de Janeiro. “Passávamos por um processo de mudança, saindo da igreja em que congregávamos; Foi um tempo conturbado e então gravamos o CD, que foi algo tremendo. Lotamos o Maracananzinho e ainda ficaram cerca de cinco mil pessoas do lado de fora”, contou.

O pastoreio e o futuro

Casado e pai de dois filhos, Luiz Arcanjo também é pastor da igreja Sobre as Águas Church, em Nova Iguaçu, desde 2017. Função que ele tem se dedicado exclusivamente desde que o Trazendo a Arca paralisou suas atividades.

“Não deixei de fazer agendas, mas coloquei o pé no freio para me dedicar a questão pastoral, que requer dedicação e tempo. Quero continuar pastoreando, abracei esse chamado e não tem como me remover dele. Eu estou muito feliz em estar pastoreando uma igreja, cuidando e discipulando pessoas e ver o reino de Deus crescer, além de ter toda a minha família envolvida”, disse.

Porém, como a música também não para, Arcanjo adiantou à Comunhão que vai lançar em breve dois álbuns solos: um no estilo congregacional, que é novidade para o artista e um outro de música popular brasileira. “Deus me deu algumas canções que eu queria compartilhar com a igreja nesse tempo”, revelou. “Eu tenho certeza que vai abençoar a vida das pessoas”, acrescentou.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se