21 C
Vitória
quarta-feira, 8 dezembro 2021

‘Louvo a Deus por seu cuidado e provisão’, declara cristão nepalês

Cristãos que foram atingidos pelas consequências da segunda onda da Covid-19 no Nepal falam sobre a ajuda recebida. Saiba mais!

Por Victor Rodrigues 

Jasmaya Ramtel é uma cristã do Nepal que recebeu ajuda emergencial durante a segunda onda da Covid-19 no país. Diversos outros cristãos também foram beneficiados por meio da sua doação.

Assim como ela, no último ano o marido de Rani Karki, perdeu o marido devido à covid-19. Ela ficou com o filho e a nora. “Meu filho ainda não tem um emprego permanente e não há uma renda fixa para minha família. Nós estávamos passando por um tempo realmente difícil”, declara.

Entretanto, em meio aos desafios a família recebeu ajuda da organização cristã Portas Abertas. “Esse é o amor de Deus mostrado por seus filhos. Essa ajuda emergencial trouxe alegria a nossa família e eu estou grata a Deus e ao seu povo. Vou orar sempre por eles”, explica.

Outros desafios

Juntamente com o marido, Saili está esperando um bebê que chegará em breve. Devido ao lockdown, o marido dela perdeu o emprego e eles estavam com dificuldades financeiras. “Como estou grávida, preciso ter comida suficiente para o bebê ficar saudável. Estávamos com medo já que nossa comida era muito limitada. Por isso, pedimos a Deus que cuidasse de nós. Então ele nos enviou mantimentos por meio de parceiros da Portas Abertas.

“Cremos que isso é uma bênção de Deus. Eu dou graças a ele e também aos parceiros da que nos ajudaram e encorajaram em tempos difíceis”, compartilha.

Da mesma forma, Rabi Magar é motorista de táxi. Sua esposa e filhos dependem dele por ser o único provedor da casa. Ele explica ter passado um momento difícil na primeira onda do coronavírus no Nepal. Entretanto, a disseminação do vírus foi controlada e o medo diminuiu. Todos começaram a trabalhar e esperar que a situação voltasse ao normal em breve. Mas para o desânimo de todos, a segunda onda do coronavírus chegou ao país e foi pior e mais alarmante do que a primeira.

Para controlar isso, o governo impôs lockdowns, mas as pessoas pobres, como Rabi, sofreram por não possuir economias. “Minha família estava em uma crise financeira e tive que parar de trabalhar. Nós não podíamos fazer nada além de orar. Como resposta, Deus enviou seu povo com a ajuda. Por isso, expresso minha sincera gratidão aos parceiros da Portas Abertas por tamanho auxílio nesse tempo difícil. Foi de grande ajuda quanto as nossas ansiedades e preocupações. Eu louvo a Deus por seu cuidado e provisão.”

 Com informações de Portas Abertas 
- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se