Livro orienta sobre como lidar com a dor e o sofrimento

Quando a tristeza é extrema e as doenças e a morte vitimam o ser humano sem motivo aparente, a busca pela compreensão do que é a justiça e se ela, realmente, existe chega à mente e ao coração. É nessa hora que a verdade expressa em amor tem seu efeito curativo.

Poucos escritores desenvolveram tamanho talento e sensibilidade para abordar a difícil questão do sofrimento como Philip Yancey. Tal reconhecimento é atestado por diversos livros editados nas mais variadas línguas e nos convites nacionais e internacionais que recebe para falar sobre dramas individuais ou coletivos que afetam milhões em todo o mundo.

Jornalista e escritor premiado, Philip é famoso por seu talento e habilidade para verbalizar as questões que angustiam o homem. Em “A pergunta que não quer calar”, seu mais novo livro que chega ao Brasil pela Editora Mundo Cristão, ele expõe com inteligência e cuidado fatos importantes da experiência humana, elucidando a perspectiva a ser considerada quando a difícil questão vem à tona: “Por quê?”. Sem apontar uma resposta óbvia e definitiva, que não existe, o autor ajuda os leitores a encontrar um caminho pavimentado pela esperança.

Na obra, que é sequência de seu primeiro livro “Onde está Deus quando chega a dor?”, Yancey compartilha algumas das experiências obtidas por meio do contato com gente que passou pelas mais difíceis situações e oferece encorajamento num relato emocionante.


“Embora eu tenha alguma experiência pessoal de dor – ossos quebrados, pequenas cirurgias, um acidente de carro que pôs minha vida em risco -, aprendi muito mais ouvindo as histórias de outras pessoas. Quando minha mulher trabalhava como capelã hospitalar numa casa de saúde para pacientes terminais, muitas vezes durante o jantar ela me fazia relatos de conversas com famílias que estavam tentando entender a morte. Nossa comida era temperada com lágrimas. E, como jornalista, ouvi histórias angustiantes de muitas outras pessoas: pais chorando o suicídio de seu filho gay, um pastor sofrendo da implacável esclerose lateral amiotrófica, cristãos chineses revivendo a brutalidade da Revolução Cultural”, relata no livro.

De acordo com o autor, para lidar com o sofrimento é preciso lucidez, evitando enfatizar a causa – quase sempre fora de nosso controle – para concentrar-se na reação, que deve acontecer em dois passos: Primeiro, descobrir um significado em meio ao sofrimento e, segundo, oferecer ajuda real e prática aos necessitados. Um livro que estimula o leitor à reflexão e à ação.