22.7 C
Vitória
terça-feira, 5 julho 2022

Chega a Espanha a primeira Bíblia na língua asturiana

bíblia asturiana
Foto: Reprodução

Cerca de 200 mil pessoas no mundo falam a língua asturiana. A primeira Bíblia traduzida na linguagem foi apresentada pela Sociedade Bíblica da Espanha

Por Priscilla Cerqueira

O Centro Asturiano de Madri apresentou a primeira Bíblia traduzida em asturiana pelo departamento de traduções da Sociedade Bíblica. O asturiano é falado na região norte das Astúrias, como também em algumas minorias nas regiões espanholas de Leão e Cantábria e Portugal. Cerca de 200 mil pessoas falam a língua, segundo dados oficiais do estado, de 2018.

O trabalho de tradução completa da nova Bíblia asturiana durou mais de 30 anos. Tradução foi realizada por uma equipe interdenominacional de estudiosos da Bíblia, linguistas e teólogos.A apresentação dela pela Sociedade Bíblica da Espanha foi no dia 28 de outubro.

“Muitos consideram isso um marco histórico. Percebi reações entusiasmadas por ter toda a Bíblia disponível em asturiano; alguns pastores já o disseram”, disse à Protestante Digital José Luis Fernández, um dos evangélicos asturianos que participou da revisão do texto.

“Há uma reação cativante, não só dos fiéis, mas também de pessoas que não têm nenhum tipo de fé, mas que valorizam ter a Bíblia em sua língua, como um grande legado e um código de interpretação da cultura ocidental”, apontou fora Moraleja.

Tradução bíblica

sociedade bíblica espanha
Foto: Divulgação / Centro das Astúrias em Madri

A tradução é acompanhada por notas que procuram esclarecer os aspectos históricos, geográficos, literários e culturais do texto, bem como oferecer outras opções de tradução possíveis, mas sem nunca entrar em questões de interpretação. Também inclui mapas das terras bíblicas e esboço do calendário hebraico.

Ricardo Moraleja, coordenador do departamento de tradução da Sociedade Bíblica explicou que “mais de 20 ou 30 pessoas de seminários, universidades e professores do ensino médio, escritores, teólogos, pastores compartilharam seus conhecimentos como revisores e consultores, criando uma obra de qualidade literária e religiosa sensibilidade, sem precedentes nas Astúrias”, disse ao site de notícias Protestante Digital.

Ricardo também afirmou que foi conseguir que tradutores e linguistas concordem. “Também foi difícil encontrar pessoas com formação em asturiano e hebraico. Tivemos que ensinar hebraico a linguistas asturianos, para que pudessem fazer a tradução”, acrescentou Moraleja.

Segundo a coordenadora de traduções da Sociedade Bíblica, eles esperam que “a Bíblia se torne uma referência para o bom uso da língua asturiana. Nós queremos que seja o texto de referência em ambos os eclesiástica e esferas civil”

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se