24.4 C
Vitória
quarta-feira, 26 janeiro 2022

Rev. Hernandes Dias Lopes fala sobre como vencer os “Ladrões da Alegria”

Quando o cristão não está alegre é porque algo ou alguém lhe roubou a alegria plena dada pelo Pai.  A Revista Comunhão lançou, uma série de quatro matérias com o tema: Os Ladrões da Alegria. As ministrações e palestras do reverendo Hernandes Dias Lopes, da I Igreja Presbiteriana de Vitória, formam a base das reflexões que inspiraram a nova série.  
Autor do livro de mesmo nome, em que confronta com a Palavra de Deus alguns dos fatos que podem nos entristecer, o pastor Hernandes revelará, a cada edição, quem são os que roubam a alegria do coração do crente, ajudando-nos a “matar” cada um deles, um por um, até que nossa alegria seja recuperada e nunca mais perdida.

Perdas e danos
Quando ouvimos falar em ladrões, geralmente a primeira coisa que pensamos é no roubo de algo de valor, que jamais gostaríamos de perder. Dinheiro, objetos preciosos, carros, aparelhos eletrônicos,jóias, todos são considerados alvos dignos de serem furtados. Por isso, guardamos e preservamos com o máximo cuidado possível o que consideramos importante – em alguns casos, até em cofres e bancos.
Mas, você já pensou que há ladrões que roubam algo que você não pode adquirir? Que não pode ser construído ou criado por alguém? Que não se encontra nas lojas e supermercados? Pois então…
A Revista Comunhão decidiu falar desse assunto tão importante e inicia a série sobre os inimigos que querem arrancar do seu coração a alegria, um bem ainda maior e mais precioso do que qualquer outro que você possa ter ou desejar. Esse novo tema, de que estaremos tratando nas próximas quatro edições, servirá para você estudar com sua família e, a cada mês de reflexão, usar armas infalíveis para destruir os que ameaçam o sentimento de satisfação que Deus colocou em você.
A nova série está baseada num estudo da carta do apóstolo Paulo aos Filipenses cujo principal foco é o versículo 4 do capítulo 4: “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, alegrai-vos”.

Alegria, oxigênio da alma
A alegria é a exteriorização de um sentimento de satisfação e prazer que se opõe à tristeza. É uma virtude gerada pelo Espírito Santo no coração do crente, que passa a usufruir desse fruto espiritual.
Se isso é alegria, podemos concluir que quando o cristão não está alegre é porque algo ou alguém lhe roubou a alegria plena dada pelo Pai. Mas, quem são os ladrões que o inimigo usa para roubar a nossa alegria?
Um inimigo, para ser vencido, precisa antes ser conhecido; a revelação de suas armas e estratégiaso deixará vulnerável e passível de derrota. É por isso que, no mês de abril, estudaremos sobre o primeiro ladrão da alegria: as circunstâncias.
“Um acidente, uma enfermidade, um divórcio, a reprovação no vestibular, uma falência ou desemprego, são exemplos de circunstâncias da vida que nos roubam a alegria. No entanto, avida e o ministério do apóstolo Paulo são marcados por adversidades. Ele tinha inúmeros motivos para ser infeliz, mas alegrava-se até quando estava acorrentado em prisões”, ressalta o pastor, citando o texto de Atos 16:25: ” E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam”.
O pastor Hernandes afirma que a Bíblia nos garante que nenhum ladrão tem, de fato, o poder de nos roubar a alegria e que situações de desconforto são normais na vida de qualquer pessoa, em qualquer tempo e em qualquer cultura.
“Se somos infelizes por essas causas sem muita importância, estamos nos esquecendo do fato maior, a presença de Deus em nossas vidas.Ao permitir que tais forças nos subtraiam a felicidade, pecamos contra uma ordem de Deus que diz:”Alegrai-vos”. A alegria do cristão,fruto de seu íntimo relacionamento com Deus, deve estar presente mesmo em momentos de que derramamos lágrimas.Parece um paradoxo, mas o cristão, mesmo em circunstâncias infelizes, deve nutrir a felicidade íntima de ser filho e herdeiro de Deus.Ele está no comando, e tudo o que Deus faz é bom”, conclui.
A verdade é que ser sempre alegre é possível quando estamos ligados ao Senhor, e não às circunstâncias da vida. O que Paulo escreveu para um grupo de amigos a quem ele amava e por quemrevela gratidão pelas diversas vezes em que ajudaram o seu ministério, serve para o povo cristão de nossos tempos. Então, tire seus olhos dos fatos que o rodeiam e olhe para Deus, o dono e motivo da nossa alegria.

Os Filipenses dos nossos dias
Dois fatos interessantes nos chamam a atenção e justificam a ordem dada nesta carta para nos alegrarmos sempre no Senhor, independentemente das circunstâncias. O primeiro fato é que essa carta foi escrita quando Paulo estava preso em Roma e, apesar das dificuldades e do abatimentoimpostos pelo cárcere, ele conseguiu escrever sobre alegria.
O segundo fato é que a carta fala para uma igreja que enfrentava alguns problemas de relacionamento, como no caso de Evódia e Síntique, duas mulheres da congregaçãoque estavam brigadas; fala também da necessidade de viverem em harmonia sendo apaziguadas (postas em paz) por um irmão em Cristo. E ainda,que todos deveriam sentir uma mesma coisa e abrir mão da ansiedade.
Suas palavras ecoam nos dias de hoje para uma igreja que precisa experimentar a verdadeira alegria no Espírito Santo como combustível que a move para superar qualquer tipo de situação desfavorável que possa abater a igreja e as famílias. Profetas do Antigo Testamento já previam isso, como Habacuque que, no capítulo 3:17-18, declarou: “Ainda que a figueira não floresça, ainda que a videira não dê seu fruto, mesmo que não haja alimentos nos campos, eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha Salvação”.
O que temos em comum com os cristãos da cidade de Filipos? Quase tudo. Somos perseguidos por ladrões que lutam não contra nossa carne e sangue, mas contra nossa comunhão com Deus e com os irmãos, que devem ser preservadas, pois produzem alegria nos nossos corações.

Podemos ser aprisionados não por cadeias humanas e físicas, mas emocionais e espirituais, que nos tiram o verdadeiro foco e motivo maior da alegria, que é anossa salvação em Cristo. Em Lucas 10:20 lemos “Mas, não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus”.
Quando nos sentimos felizes e satisfeitos, contagiamos os outros. A alegria é então uma manifestação social, um modo de ser ou de estar permanente – conforme as características psicológicas e experiências com Deus de cada um.

O que vem por aí
A nota dominante dessa breve carta de Paulo aos filipenses é a alegria, que deve estar na base de sua atitude para com a vida. Essa verdade permeia toda a Bíblia e você aprenderá mais sobre ela nos próximos meses. Confira a seguir.

Abril
As situações externas, os episódios e experiências que vivemos,podem afetar diretamente nosso bem-estar e, às vezes, até a nossa fé. Quando lemos o versículo com o imperativo de Deus para nos alegrarmos, corremos o risco de termos nosso pensamento invadido por coisas negativas que ocorrema nós, a nossos amados e amigos ou ao mundo em geral e, consequentemente, nos indagarmos: será que a alegria mencionada pelo apóstolo Paulo é, de fato possível, neste mundo e nos dias de hoje? É possível ser feliz diante de tantas injustiças e sofrimentos?
O pastor Hernandes responde: “Deus nos torna capazes de vencer rapidamente as circunstâncias tristes. Quantos outros exemplos de circunstâncias negativas podem ser observados na Bíblia: Jó, David, Abraão, Daniel. Mas a ordem de Deus permanece sempre: Alegrai-vos, sejam felizes”, disse, mencionando o Salmo 30:5: “Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã”.

Maio
As pessoas que nos rodeiam, amigos ou não, podem nos roubar a alegria através de traições, maledicências, críticas, agressões físicas ou psicológicas, desrespeito, inveja e desprezo. Infelizmente, a maioria das pessoas age, em algum momento, como ladrão de alegria.”Vamos enfatizar as características positivas das pessoas.Vamos encorajar aqueles que estão perto de nós.Sejamos como Jesus, não como Satanás.Se alguém nos mostrar algo, e não pudermos elogiar, fiquemos calados, mas não roubemos a alegria dos outros. Deus nos chama para sermos semeadores de alegria”, ensina o pastor Hernandes.
De acordo com ele, Deus sabe dos conflitos que enfrentamos por causa das ações das pessoas.Para este “ladrão de alegria”, o remédio mais eficaz é o perdão.Jesus, na cruz, proferiu sete frases, e a primeira delas foi uma palavra de perdão:’… Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem'”(Lucas 23:34).

Junho
A alegria deste mundo está muito dependente de coisas, em lugar de conceitos.”Isso é reflexo direto do consumismo desenfreado, da constante busca por coisas que não fazem muito sentido, por aquilo que perece. Isso se tornou o centro da vida do homem moderno, um tremendo engano satânico”, afirma o pastor Hernandes.
Quando Paulo diz “Alegrai-vos no Senhor”, ele quebra esse paradigma e indica que o caminho da verdadeira alegria é o contato pleno com Deus.”A sociedade materialista, sujeita às mudanças bruscas da economia, não pode garantir alegria a partir da conquista de coisas. As coisas que Deus nos dá trazem a verdadeira alegria. Buscar a Deus em primeiro lugar nos garante que coisas boas nos serão acrescentadas, como está dito em Mateus 6:33, lembra o reverendo.

Julho
Esse é o mal do século.Mas, ao chegar ao capítulo que fecha a série, você terá aprendido a combater as principais causas que levam milhares aos divãs dos psicanalistas, que vivem com suas agendas cheia.Existem muitas pessoas com os nervos à flor da pele.Gente estressada, com a alegria consumida pela expectativa da derrota.Outros, ainda, consumidos por sofrimentos do passado, por tempestades reais ou imaginadas, mas que deixaram feridas queparecem não cicatrizar nunca, tornando-os reféns da ansiedade e do medo. Nosso propósito é que você, leitor de Comunhão, seja menos um a engordar as estatísticas da infelicidade, conhecendo melhor e mais profundamente como combater os querem roubar de você a dádiva da alegria concedida pelo Senhor. Boa leitura!

 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se