20.6 C
Vitória
sexta-feira, 7 agosto, 2020

Justiça proíbe venda de livro que orienta castigo físico em crianças

Leia também

Comércio demite 2,137 milhões de trabalhadores no trimestre encerrado em junho

Com muitos trabalhadores fora da força em função da pandemia, número de pessoas ocupadas no Brasil teve redução recorde de 9,6% no período

Américas continuam a ser epicentro da pandemia da covid-19

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, insistiu na necessidade de adoção das medidas já conhecidas para controlar os contágios de covid-19

Embaixada brasileira foi atingida por explosões em Beirute

Apesar da destruição, o governo brasileiro informou que o impacto não causou danos estruturais ao prédio da embaixada brasileira Por Renata Tranches (AE) O Ministério das...

Decisão é contra a circulação do livro “O que toda mãe gostaria de saber sobre disciplina bíblica”, da escritora, Simone Quaresma. “Quando os pais tem uma disciplina contínua, não vai precisar bater”, instrui a psicanalista cristã, Ilma Cunha

A Justiça do Rio decidiu proibir a venda e a publicação na internet do livro “O que toda mãe gostaria de saber sobre disciplina bíblica”, de Simone Gaspar Quaresma. A obra orienta os pais a educarem seus filhos através de castigos físicos.

A decisão é da 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da Capital, que atendeu a uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) contra a circulação do livro.

Segundo o MP-RJ, a autora ensina ao público a se utilizar de correção física contra as crianças e adolescentes, critica os pais que não aderem à disciplina física e indica que o uso da vara deve ser investido na infância para ser menos recorrente na adolescência. Até a publicação dessa matéria, não conseguimos falar com a escritora.

O livro

Simone Quaresma é da Igreja Presbiteriana Ponta D’Areia, no Rio de Janeiro. Além de escritora é professora por formação. Mas deixou a carreira para se dedicar em tempo integral ao marido e aos filhos. Colaboradora do blog Mulheres Piedosas, viaja por todo o Brasil com seu esposo dando palestras para famílias.

Simone se dedica a ensinar às mulheres sobre a beleza da vocação feminina. “O que toda mãe gostaria de saber sobre disciplina bíblica” é o seu primeiro livro publicado. Segundo a sinopse da obra, a escritora pretende ajudar as mulheres a compreender a criação de filhos de uma perspectiva bíblica, compartilhando um pouco de sua experiência.

Sobre a correção dos filhos, que é o objeto de discussão da justiça do Rio, a psicanalista cristã, Ilma Cunha afirma que a família precisa estar equilibrada, e o casal tem que estar em sintonia para instruir a criança com prudência, de acordo com os princípios bíblicos.

“A Bíblia apresenta todos os tipos de instrução como um processo de correção contínua com os filhos. Quando os pais tem uma disciplina contínua, não vai precisar bater. O mais importante é instruir reforçando a instrução. É olhar olho no olho, tirar privilégios, sem precisar de castigo físico. Assim podemos ter resultados muito bons com a criança quando esse tipo de educação é aplicado”, explicou.

Decisão da justiça

Em sua decisão, o juiz Sergio Luiz Ribeiro de Souza afirma que o direito à integridade física e psicológica das crianças e adolescentes deve prevalecer sobre o direito à liberdade religiosa e de expressão.

“A ré tem plena ciência de que o que prega é contrário à lei, tanto assim que ensina os pais a baterem em locais que não sejam visíveis, bem como a orientar seus filhos a não delatar as agressões.

O perigo de dano é evidente, haja vista que os livros e vídeos incitando os pais a agredirem seus filhos estão acessíveis ao público, colocando em risco a integridade física de crianças e adolescentes”, diz trecho do despacho.

“O livro O Que Toda Mãe Gostaria de Saber Sobre Disciplina Bíblica, em todos os trechos que trata de uso de qualquer tipo de violência (física ou psíquica) contra crianças e adolescentes, sob todo e qualquer fundamento, agride a Constituição Federal, o Pacto de São José da Costa Rica, o Estatuto da Criança e do Adolescente e as demais normas protetivas de crianças e adolescentes.

Assim, sua comercialização somente será legítima se forem extirpados tais trechos de seu conteúdo”, prossegue o magistrado em sua decisão

Além de proibir a venda da publicação, o juiz determinou que links para palestras da autora com a mesma temática devem ser retirados de circulação na internet pelo Google Brasil (proprietário do Youtube), Facebook, Amazon e o site “Mulheres Piedosas”, sob pena de pagamento de multa.

- Continua após a publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Semana de lives da Consciência Cristã 2021; Confira as datas!

O tema das lives, que acontece de hoje, 3, até sábado, 8, é "Feitos à imagem de Deus", que será a abordagem do Consciência Cristã 2021

Helena Tannure e Alda Célia no Congresso Vitoriosas

É a terceira edição do evento, que é voltado para mulheres. O tema do Congresso Vitoriosas 2020 será Transformadas. Saiba mais! 

Lagoinha abre curso Linhas de ensino; Saiba mais!

As aulas das turmas do primeiro módulo do Curso Linha de ensino se iniciam a partir de 17 de agosto. Saiba mais!

Fórum literário: O absurdo, a esperança e mais além

Realizado desde 2016, o Fórum literário é um curso para peregrinar nos caminhos da arte e da fé cristã. Evento, que será online, começa hoje, 27. Saiba mais aqui! 

Plugue-se

“Recuperando a esperança” e fortalecendo a fé

Baseado em milhares de histórias verdadeiras, "Recuperando a esperança" é um forte lembrete de nunca é tarde demais para mudar e se transformar

Justin Bieber e esposa batizados: “momento especial”

Justin Bieber e esposa foram batizados e publicaram fotos do momento nas redes sociais

Doses diárias de sabedoria com devocional de Provérbios

O devocional de provérbios é um lançamento da gravadora Nova Fase, apresentado pelo pastor Alirio Misael

Mari Borges passa a integrar o time de artistas da Musile

Cantora mineira, que tem 11 anos de carreira, vem crescendo nas plataformas. Seu canal no Youtube ultrapassa os 600 mil inscritos