23.8 C
Vitória
segunda-feira, 6 dezembro 2021

Jovens: família é o lugar de formação da identidade, aponta pesquisa

Uma parcela do grupo entrevistado (47,5%), afirmaram que seus valores vêm da criação de casa e da vivência do mundo

Por Marlon Max

Uma pesquisa da Faculdade de Comunicação Social da PUCRS, investigou como o jovem brasileiro vê a família, a religião e quais são suas perspectivas para o futuro. As ideias e aspirações do jovem brasileiro a respeito da sua própria identidade também foram colocadas em pauta no estudo. O pastor, doutor em Ciências da Religião, Kenner Terra apresenta uma leitura positiva e desafiadora da pesquisa.

Foram entrevistados 1,5 mil jovens de 18 a 34 anos em todas as regiões do Brasil, solteiros e namorando, que responderam a 35 perguntas sobre hábitos de lazer, consumo, sonhos e mídia. Do total de entrevistados, 67,1% estão solteiros e 32,9% namorando.

Segundo o coordenador do estudo, professor Ilton Teitelbaum, ainda que os modelos apresentados não sejam os mais tradicionais, o apego à família ficou claro na pesquisa: 88,1% dos entrevistados disseram que ela é fundamental ou muito importante, contra apenas 11,9% que afirmaram ser irrelevante ou pouco importante.

Outro resultado que chama atenção é a forma como o jovem processa a ideia de amor, respeito e diálogo. Segundo dados dos entrevistados, esses são atributos essenciais para uma família ideal. De acordo com o pastor Kenner Terra, o núcleo familiar é o local onde se forma a identidade das pessoas, além de gerar proteção.  “Valores como amor, perdão e solidariedade… são valores ou princípios que a gente define como família, e por isso gera tanta segurança”, frisa.

A pesquisa reforça a potencialidade da família na criação da cosmovisão dos filhos. Uma parcela do grupo entrevistado (47,5%), afirmaram que seus valores vêm da criação de casa e da vivência do mundo. Assim como os pais e os namorados aparecem como os maiores influenciadores sobre as decisões a serem tomadas (41,4%).

“A família é uma instituição milenar. Mas a forma de ser família muda com o tempo. A pesquisa só confirma que esse lugar de construção de identidade, acolhimento e parentesco, é fundamental. A família é o lugar onde se forma sua identidade, mas é óbvio que os modelos familiares na história mudaram. Mas a maneira de amar, de acolher, de formar identidade, torna o conceito de família quase que atemporal”, explica o doutor em Ciência da Religião, Kenner Terra.

O estudo também mostra que os jovens querem estar com a vida consolidada antes de terem filhos. A primeira preocupação é com a estabilidade financeira (82,4%), seguido por estabilidade emocional (77,1%) e por ter um trabalho (76,2%). É padrão em todas as regiões a preferência por ter um ou dois filhos (totalizando 64%), mas 17,1% dos respondentes pretendem não ter filhos.

 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se