back to top
23.3 C
Vitória
domingo, 21 DE julho DE 2024

Na luta contra o covid-19, um médico se entrega a Jesus

medico_hospital-italia-comunhao
Médicos lutam contra o Covid-19. Foto: Reprodução/ Facebook

O médico Julian Urban, 38 anos, que era ateu, em meio à situação desesperadora dentro de um hospital da Itália, se entregou ao evangelho de Cristo. O país tem quase 11 mil mortes por coronavírus

Na Itália, histórias de uma vida real. O médico Julian Urban, 38 anos, decidiu abandonar o ateísmo para se entregar ao evangelho de Cristo. Ele trabalha em um hospital de Lombardia, região mais afetada pelo coronavírus no país. Já são 11 mil mortes de coronavírus na Itália. Em função da luta contra a doença, o médico disse que começou a pedir ajuda a Deus.

“Nunca, nos meus pesadelos mais sombrios, imaginei ver e experimentar o que estava acontecendo na Itália em nosso hospital nas últimas três semanas. (…) Agora, não somos mais médicos, mas classificadores que decidem quem deve viver e quem deve ser enviado para casa para morrer. (…) Até duas semanas atrás, meus colegas e eu éramos ateus. Era normal porque somos médicos. Tínhamos aprendido que a ciência exclui a presença de Deus”, relatou.

Testemunho

A mudança do médico foi graças a postura de pastor, de 75 anos, que foi infectado pelo vírus e estava internado no hospital em que ele trabalha. Segundo a publicação da God TV, Julian Urban chegou a criticar a fé. Mas agora tudo mudou.

“Esse pastor era um homem gentil, tinha sérios problemas respiratórios. Mas tinha uma Bíblia e nos impressionou como lia para as pessoas, enquanto segurava a mão deles. Nós, médicos, estávamos todos cansados, desanimados, psicologicamente e fisicamente acabados. Quando tivemos tempo, ouvimos ele. Tínhamos atingido nosso limite. Não podíamos fazer mais nada. Pessoas estão morrendo todos os dias. Estamos exaustos. Dois colegas morreram e outros foram infectados. Precisávamos começar a pedir a ajuda de Deus” declarou.

Alguns dias depois o pastor morreu. Mas a fé prevaleceu. “Quando conversamos um com o outro, não podemos acreditar que, embora já tenhamos sido ateus ferozes, agora estamos diariamente em busca da paz, pedindo ao Senhor que nos ajude a continuar para que possamos cuidar dos enfermos. Apesar de ter tido mais de 120 mortes aqui em 3 semanas, não fomos destruídos. O pastor conseguiu trazer-nos uma paz que não esperávamos encontrar” , declarou.

Apesar das dificuldades, Julian Urban disse estar feliz pelo encontro com Deus. “Não estou em casa há 6 dias. Não sei quando comi pela última vez. Mas estou feliz por ter me voltado a Deus, enquanto estou cercado pelo sofrimento e pela morte de meus semelhantes”, concluiu.

- Continua após a publicidade -

*Com informações de GOD TV

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -