26.6 C
Vitória
sexta-feira, 21 janeiro 2022

Israel, Páscoa, o Êxodo e a “praga coronavírus”

Judeu ortodoxo percorre rua vazia na cidade de Bnei Brak (Foto: Ammar Awad / Reuters - 3.4.2020)

“No Livro do Êxodo, lemos que ‘os israelitas gemeram em sua escravidão e clamaram, e Deus ouviu seus gemidos”, disse o presidente de Israel

Israelenses e comunidades judaicas ao redor do mundo estão se preparando para celebrar a Páscoa. Segundo a Bíblia, nesta data Deus libertou o povo judeu de uma praga de morte e os libertou da escravidão no Egito.

O presidente de Israel, Reuven Rivlin, disse em um discurso especial na quarta-feira, poucas horas antes do início da Páscoa, que essa lembrança da libertação de Deus é o que une o povo judeu ao combater a “‘praga da coroa'”.

“Quando nos deparamos com ‘distanciamento social’, fechamento e isolamento em casa, sentimos ainda mais claramente a importância da obrigação de ‘contar a história para seus filhos’, de passar a história de geração em geração, de avós para filhos e netos para bisnetos”, disse Rivlin. 

“No Livro do Êxodo, lemos que ‘os israelitas gemeram em sua escravidão e clamaram, e Deus ouviu seus gemidos e lembrou-se de Sua aliança com Abraão, com Isaque e com Jacob. Nestes dias estamos todos orando, juntos ou separadamente, jovens e velhos, seculares e religiosos, pelos melhores dias que virão. Todos pedimos ‘lembre-se da aliança de nossos antepassados'”.

As celebrações da Páscoa deste ano em Israel serão muito mais isoladas do que as demais. Dessa forma, todos observam um bloqueio e um toque de recolher exigidos pelo Estado.

Bloqueio Geral 

Um bloqueio geral em todo o país e a proibição de viagens entre cidades começaram na terça-feira e terminam na manhã de sexta-feira. Ninguém pode deixar sua comunidade, exceto para comprar alimentos, remédios ou outros produtos essenciais.

Enquanto isso, nesta quarta-feira à noite, quando começa a Páscoa, os israelenses devem aderir a um toque de recolher estrito que termina na manhã de quinta-feira. Durante esse período, todas as lojas serão fechadas e as compras são proibidas.

Até domingo, todo o transporte público, bem como os vôos internacionais de passageiros, serão interrompidos. Na manhã de quarta-feira, existem mais de 9.404 casos de COVID-19 em Israel e 71 mortes.

*Da Redação, com informações da CBN News. 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se