24.9 C
Vitória
quinta-feira, 11 agosto 2022

Israel disponibiliza ajuda às comunidades judaicas ucranianas

Foto: Reprodução

O governo pediu que os israelenses saiam da Ucrânia. “Temos a lei do retorno que permite que cada judeu entre no país sem precisar imigrar”

Por Patricia Scott 

Israel se prepara para receber milhares de judeus que pretendem fugir do território ucraniano diante da possibilidade de invasão russa à Ucrânia. O primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, no início desta semana, pediu que os israelenses na Ucrânia saiam imediatamente para sua proteção.

“Estou chamando novamente os israelenses na Ucrânia: voltem para casa. Não corram riscos desnecessários. Não esperem por uma situação em que vocês realmente queiram voltar, mas será impossível. Sejam responsáveis por si mesmos. Deixe a Ucrânia o mais rápido possível”, declarou Bennett.

O ex-embaixador israelense na ONU, Danny Danon, informou que está envolvido no planejamento israelense para receber os judeus. “Estive em contato com a liderança das comunidades judaicas na Ucrânia. Elas estão confusas sobre seu futuro. Dissemos a elas que as portas de Israel estão sempre abertas para todos os judeus que vierem”, ressaltou.

Na visão de Danon, sair do Ucrânia é uma decisão difícil para muitos judeus mesmo diante da difícil situação. “Não é fácil realocar sua família quando você tem suas conexões com seus parentes, trabalho e pais idosos. Então, não é fácil simplesmente fazer as malas e se mudar para Israel”, afirmou, e explicou: “Temos a lei do retorno que permite que cada judeu entre no país. Podem vir sem precisar imigrar. Podem vir por um curto período e iremos os apoiar e ajudar”.

O chefe da Irmandade Internacional de Cristãos e Judeus, Yael Eckstein, compartilha do mesmo entendimento do ex-embaixador. “Visitei as sinagogas e as escolas. E senti todas as incógnitas de como será o futuro lá. Mas o que ficou muito claro para mim é que há uma comunidade judaica próspera e forte na Ucrânia que não vai a lugar nenhum tão rapidamente”.

Em fevereiro de 2020, segundo informou a CBN News, 130 judeus ucranianos fizeram Aliyah (imigração judaica) para Israel. “Continuamos nossas operações, faça chuva ou faça sol, não importa o que esteja acontecendo. Há aqueles que sempre sonharam em fazer Aliyah e estão se mudando para Israel e há outros que, por qualquer motivo, não desejam. E assim, estamos os ajudando também”, enfatizou Eckstein à CBN News.

Com informações CBN News

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se