21.9 C
Vitória
terça-feira, 21 setembro 2021

Iraniano dedica medalha olímpica a Israel

Mollaei disse ao Canal de Esportes de Israel que é grato pelo apoio que recebeu de Israel após desertar do Irã

Por Marlon Max

Pouco depois de ganhar uma medalha de prata no judô nas Olimpíadas de Tóquio, na terça-feira, o desertor iraniano Saeid Mollaei dedicou o prêmio a Israel. Mollaei representou a Mongólia na divisão masculina de -81Kg, perdendo o ouro para o japonês Takanori Nagase.

“Obrigado a Israel pela boa energia. Essa medalha é dedicada também a Israel ”, disse. “Espero que os israelenses estejam felizes com esta vitória.”

Mollaei ganhou sua primeira medalha olímpica dois anos depois de fugir do Irã, depois que a equipe de judô de seu país tentou pressioná-lo a perder deliberadamente nas semifinais do Campeonato Mundial de 2019, em Tóquio — para evitar competir contra Sagi Muki de Israel na final. Mollaei posteriormente foi para a Alemanha e então ganhou a cidadania mongol.

Muki parabenizou Mollaei após sua vitória: “Estou muito feliz por Saeid”, disse o judoca israelense aos repórteres. “Eu sei o que ele passou e o quanto ele queria. Ele é um amigo muito próximo e estou muito feliz por ele ter conseguido realizar seu sonho. Ele merece. Sua jornada é incrivelmente inspiradora”, disse.

Este ano, nas Olimpíadas de Tóquio, dois atletas de judô do Sudão e da Argélia perderam a competição para evitar enfrentar um competidor israelense. O Comitê Olímpico Internacional prometeu investigar os incidentes.

“Obviamente, o COI está sempre preocupado com esses casos e está monitorando muito de perto”, disse o diretor de solidariedade do Comitê Olímpico Internacional, James Macleod. “Claramente, se houver abusos flagrantes da Carta Olímpica, o COI tomará todas as medidas necessárias a esse respeito”.

Com informações Faith Wire

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se