Índia: um clamor de oração pelos cristãos do país

índia
"Quando eles me perseguem, eu oro. E quando oro, sei que os outros estão orando comigo”. Foto: Portas Abertas

Pela terceira vez, a Irmandade Evangélica da Índia reuniu cristãos em um clamor pelo país. Os cristãos indianos enfrentam todo tipo de perseguição e violência para adorar e seguir a Jesus

Várias igrejas cristãs na Índia se reuniram neste domingo (18) para um Dia Nacional de Oração, em tempos que são preocupantes para os cristãos do país. É a terceira vez que a Irmandade Evangélica da Índia (EFI) realizou o evento, que é celebrado em comemoração ao dia da independência da Índia.

“O estado de nossa nação e os desafios que ela enfrenta, nos levam a olhar para o rosto do Deus Todo-Poderoso e orar por Suas incessantes bênçãos sobre a Índia”, disse o Rev. Vijayesh Lal, Secretário Geral da EFI.

O dia de oração aconteceu em um momento de grande ansiedade em relação ao futuro da Caxemira, uma área disputada na fronteira da Índia, com o Paquistão e a China. No início deste mês, o governo P da Índia cancelou o status de proteção da Caxemira.

O governo liderado pelo BJP, com uma agenda hindu-nacionalista, revogou o artigo na constituição que trata da autonomia da Caxemira, colocando o Estado em estado de bloqueio e deixando o povo da Caxemira em grande incerteza sobre seu futuro – e sobre o futuro dos cristãos do estado.

Segundo Matthew Rees, diretor de advocacia da Open Doors no Reino Unido, essa situação gera tensão não somente aos indianos, como aos cristãos que vivem na Caxemira.

“As tensões na Caxemira são muito preocupantes para as minorias religiosas em toda a Índia e particularmente para aqueles que vivem na região. Isso inclui a população cristã local, muitos dos quais são ex-muçulmanos e já enfrentam uma pressão severa de sua comunidade”.

Fontes na Caxemira disseram à Portas Abertas que eles estão preocupados que esta decisão do governo fará aumentar os níveis já altos de medo entre as comunidades cristãs na Caxemira. Os eventos na região deixam muito claro que nenhuma minoria na Índia pode esperar qualquer nível de proteção especial “, disse Rees.

Chamados para orar

Enquanto isso, relatos da mídia sugerem que o governo indiano está considerando propor um projeto de lei anticonversão perante o parlamento, com o objetivo de impedir qualquer tipo de conversão religiosa nacionalmente.

A constituição da Índia garante a liberdade de religião e para que o projeto seja aprovado, uma maioria de dois terços no parlamento é necessária. No entanto, oito dos estados da Índia já têm essa lei em vigor e tem sido usado para marginalizar as comunidades religiosas.

Segundo relatórios da Portas Abertas, a violência contra os cristãos nesses estados é significativamente mais proeminente do que nos estados sem um projeto de lei anticonversão. No entanto, em meio aos desafios “Deus ama a nação da Índia e está trabalhando nela”, disse Rev Lal em um post no Facebook, pedindo intercessão.

No ano passado, mais de 30 mil igrejas locais se uniram em oração pelo país, seus líderes e cidadãos. “A Igreja foi chamada para orar e trabalhar pela paz, prosperidade e estabilidade da nação”, disse Lal.

E qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, pode fazer parte dessa campanha de oração pela Índia. Em um testemunho comovente, Kusum, uma cristã perseguida no país, afirmou: “Quando eles me perseguem, eu oro. E quando oro, sei que os outros estão orando comigo”.

*Com informações de Portas Abertas


lEIA MAIS

Índia: cristãos são considerados uma ameaça