“O tempo agora é de refletir Jesus em nossas ações”

Foto: Convenção Batista Mineira

É a declaração do pastor Vanoir Torres, que integra uma comitiva de cristãos, em Brumadinho (MG), que leva apoio psicológico às famílias das vítimas. Número de mortos na tragédia subiu para 99. 

Nesta quarta-feira (30), o Corpo de Bombeiros elevou para 99 o número de mortos após o rompimento de uma barragem da Vale, na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Autoridades contabilizam 259 desaparecidos. O número de vítimas aumenta na proporção que a esperança diminui.

Equipes de bombeiros experientes de várias partes do país se revezam em busca de sobreviventes. Mas eles relatam que há dificuldades devido ao mar de lama que tomou conta da região.

Além das orações, igrejas evangélicas de Minas Gerais tem dado apoio logístico aos voluntários que trabalham na região fazendo buscas. Desde o rompimento da barragem, no dia 25, pastores e membros da Primeira Igreja Batista de Brumadinho estão no local oferecendo assistência psicológica e humanitária para as famílias das vítimas, através de um trabalho pastoral e capelania.

“Estamos com equipes nos hospitais da cidade, velórios, cemitérios e ainda vamos até a casa dos familiares das vítimas para dar apoio psicológico, assistência e cuidando das pessoas. Elas estão receptivas ao evangelho.

O tempo agora é de abraço e de tratar essas famílias como amor, refletindo Jesus em nossas ações e gestos. É impossível amar sem dar e isso é um mandamento deixado por Deus”, explicou o pastor Vanoir Torres, gerente de missões da Convenção Batista Mineira. 

Veja
Bombeiros

O trabalho tem sido coordenado pela Convenção Batista Mineira. Além de prestar solidariedade às famílias das vítimas, as equipes, que são voluntárias, também ajudam os bombeiros e militares na lavagem de seus uniformes e coletes.

Uma lavanderia foi montada na Primeira Igreja Batista de Brumadinho. Mais de 15 pessoas da igreja estão envolvidas no trabalho. Os cristãos lavam e depois de limpo colocam em uma sacola e junto dela um folheto e uma Bíblia. O panfleto tem uma mensagem de ânimo para os militares. É também uma forma de evangelizar.

Foto: Convenção Batista Mineira

“Levamos o amor e a graça de Cristo para todos que estão servindo ao próximo.

Com essa ação, nós enviamos uma palavra de conforto para os militares, pois muitos deles estão tendo dificuldades emocionais por viverem uma tamanha catástrofe. Mas o povo de Deus se uniu para orar com eles e aproximar pessoas. É um tempo de alento”, acrescentou o pastor.

E concluiu exortando aos evangélicos de todo o Brasil que intensifique as orações pela comunidade de Brumadinho.

“Precisamo orar para que seja uma reconstrução estrutural e espiritual. Essa cidade vai demandar a presença do povo de Deus para um trabalho mais intensivo de capelania para que não caia no esquecimento. A ideai é mobilizar para continuar cuidado dessas pessoas para os momentos que eles precisam viver para não desencadear quadros depressivos”, concluiu, o pastor.

Saiba mais do trabalhos da Convenção Batista Mineira e como ajudar em Brumadinho (MG)

Veja

Leia mais

O Brasil que a igreja desconhece
Presos engenheiros que atestavam segurança na barragem
Tragédia em MG – Já são 65 mortes confirmadas
Barragem da Vale rompe em Minas Gerais