17.7 C
Vitória
segunda-feira, 27 junho 2022

Igrejas são atacadas na Nigéria após prisão dos assassinos de cristã

Foto: Reprodução

Lojas também foram vandalizadas, em Sokoto, por muçulmanos, que exigem a soltura dos dois homens. Saiba mais!

Por Patricia Scott 

Três prédios de igrejas foram atacados, e lojas de cristãos saqueadas, no estado de Sokoto, na Nigéria, por uma multidão de muçulmanos. O ato violento ocorreu após a prisão de dois homens. Eles são suspeitos de espancarem até a morte a estudante cristã Deborah Emmanuel Yakubu, de 25 anos, e ainda queimar o corpo da jovem devido a falsas alegações de blasfêmia.

“Centenas de muçulmanos, em Sokoto, esta manhã convergiram em vários pontos da cidade para protestar contra a prisão de dois muçulmanos que estão envolvidos no assassinato de Deborah”, afirmou Angela Anthony, moradora da área, que prosseguiu: “Apesar dos esforços da polícia e de outras agências de segurança para impedir que eles se tornassem violentos no protesto, esses muçulmanos ainda conseguiram atacar e destruir.”

Os vândalos exigem a libertação dos dois muçulmanos. Como protesto pelas prisões, eles montaram fogueiras e danificaram a Catedral Católica da Sagrada Família, a Igreja Católica de St. Kevin e um edifício da Igreja Evangélica Winning All, em Sokoto. Eles também saquearam dezenas de lojas pertencentes aos cristãos na cidade de Sokoto, conforme informação do Morning Star News.

O reverendo Christopher Omotosho, porta-voz da Diocese de Sokoto, disse que os manifestantes também quebraram as janelas da secretaria do Bispo Lawton. Segundo o religioso, um ônibus estacionado no local também foi vandalizado. Eles também atacaram o Centro Bakhita da diocese na Aliyu Jodi Road, além de incendiarem um ônibus.

Deborah Emmanuel, que era membro da Igreja Evangélica Winning All, estudava na Faculdade de Educação Shehu Shagari, e morava com os pais. Um vídeo do assassinato viralizou nas redes sociais. A jovem foi acusada, injustamente, de blasfemar contra o profeta islâmico Maomé porque se recusou a namorar um muçulmano, revelaram fontes.

Após o enterro de Deborah, no estado do Níger, no sábado, os pais da jovem afirmaram à mídia local que haviam deixado tudo para Deus. “Não podemos dizer ou fazer nada, exceto aceitar como um ato de Deus. Deixamos tudo para Deus, decidimos levar assim”, ressaltaram Emmanuel Garba e Alheri Emmanuel.

O líder da Igreja Evangélica Winning All solicitou ao presidente nigeriano Mohammadu Buhari que garanta que a justiça seja feita. “Deborah pode ser apenas uma jovem cuja preciosa vida e ambição foram cruelmente interrompidas, mas o mundo inteiro está assistindo, esperando e clamando por justiça aqui na Terra, caso contrário, no céu”, frisou o reverendo Stephen Baba Panya.

A Nigéria ocupa a 7ª posição na Lista Mundial da Perseguição (LMP) de 2022, elaborada pela Missão Portas Abertas, que elenca os 50 países onde é mais perigoso ser cristão. Nos últimos meses têm crescido o número de ataques às igreja no país, como também a ocorrência de atos violentos contra os seguidores de Cristo. “A Nigéria é um dos lugares mais mortíferos da Terra para os cristãos, já que 50.000 a 70.000 foram mortos desde 2000”, apontou o relatório Persecutor of the Year do International Christian Concern (ICC).

Com informações The Christian Post

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se