Igrejas no combate ao Ebola no Congo

Foto: Reprodução

Organização cristã World Relief orienta as igrejasa identificarem os casos de ebola no país. “Estamos trabalhando duro na defesa e conscientização da doença”, disse Charles Franzen

O surto de Ebola tornou-se desenfreado na República Democrática do Congo, com a declaração de epidemia feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Virou uma emergência de saúde pública oficial de preocupação internacional.

A organização cristã World Relief resolveu fazer diferente para combater o surto causado pelo vírus Ebola no país. Cerca de 300 igrejas se uniram à ONG ajudar na identificação dos casos.

O diretor de ajuda humanitária e resposta a desastres da World Relief, Charles Franzen, disse que o trabalho conjunto no Congo é para conscientizar sobre o perigo do vírus altamente infeccioso.

“Através de sermões e treinamento com conselhos de liderança e comitês nas igrejas, as mensagens sobre o Ebola estão sendo espalhadas pelas congregações”, explicou Franzen em entrevista ao Christian Post.

Segundo Franzen, as igrejas estão localizadas em Kivu do Norte, no território de Djugu e na província de Ituri, onde a situação é pior. Quase 1.800 pessoas morreram na área que tem mais de 2.500 infectados.

“O principal problema em parar a doença é que a equipe médica precisa ser capaz de rastrear cada contato que uma pessoa infectada teve durante o período infeccioso”, disse.

Conheça a World Relief 

Quem tiver em contato com a doença são colocadas em quarentena até que o perigo termine ou elas comecem a apresentar sintomas, e nesse caso elas são tratadas.

Outra dificuldade enfrentada é que as equipes de ajuda humanitária enfrentam interrupções entre facções e tribos na região. Muitos médicos foram espancados e outros mortos. Alguns centro de Ebola foram saqueados e destruídos.

“Não é fácil para nós rastrear todos os contatos conhecidos de uma pessoa infectada ‘por trás das linhas’, por assim dizer, porque o perigo de se tornar uma vítima é muito grande”, explicou.

Surto 

Em um comunicado de imprensa, o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus declarou. “É hora de o mundo tomar conhecimento e redobrar nossos esforços. Precisamos trabalhar juntos em solidariedade com a RDC para acabar com este surto e construir um sistema de saúde melhor”.

Franzen incentivou as igrejas de fora do país a apoiar organizações sem fins lucrativos como a World Relief para combater o ebola. “Uma das melhores maneiras de a igreja combater o Ebola no Congo é fornecer assistência àqueles que estão prestando assistência e tratamento, como a World Relief. Estamos trabalhando duro na defesa e conscientização da doença, combatendo boatos, treinando voluntários para atender casos primários e ajudar na gestão”, declarou.

*Com informações de Christian Headlines e Christian Post


Leia mais

Ebola: Salvando vidas através do voluntariado
Pastor morre de ebola no Congo
Congo passa por surto de ebola mais letal da história