back to top
27.9 C
Vitória
quarta-feira, 12 junho 2024

Igreja Anglicana pede perdão ao mundo pela participação econômica na escravidão

Justin Portal Welby, líder da Igreja Anglicana. Foto: Reprodução

A instituição e o próprio Reino Unido lucraram muito com o tráfico negreiro para escravidão durante os séculos 16 e 17.

Por Lilia Barros

A Igreja Anglicana pediu perdão ao mundo pela participação econômica na escravidão, nesta terça-feira (10/1). Segundo o historiador David Richardson, navios britânicos levaram cerca de 3,4 milhões de africanos capturados para as Américas.

A instituição religiosa e o próprio Reino Unido lucraram muito com o tráfico negreiro durante os séculos 16 e 17. 

Os Comissários da Igreja também anunciou um fundo de investimentos de £ 100 milhões, o equivalente a quase R$ 635 mil. A quantia será destinada à um programa de investimento, pesquisa e engajamento utilizados nos próximos nove anos, a partir de 2023.

- Continua após a publicidade -

Segundo os comissários da igreja (Church Commissioners), essa decisão da Igreja vai “tentar resolver alguns dos erros do passado”. O dinheiro financiará projetos de impacto para melhorar a vida de sociedades afetadas negativamente escravidão, além de impulsionar pesquisas, combater a escravidão moderna, violação dos direitos humanos e as desigualdades.

No comunicado, a Igreja Anglicana admite que “tinha ligações históricas com a escravidão transatlântica”. O pedido de desculpas segue uma série de descobertas compartilhadas em um anúncio interino publicado, em junho de 2022.

Figuras religiosas compartilharam suas desculpas. Entre elas, o líder espiritual da Igreja Anglicana, o arcebispo de Canterbury, Justin Welby. Ele escreveu nas redes sociais que “sente muito por essas ligações”. “Somente abordando nosso passado com transparência podemos enfrentar nosso presente com integridade”, declarou.

Welby diz que “agora é hora de agir para lidar com nosso passado vergonhoso”. Além da instituição religiosa, a Holanda também pediu desculpas pelos 250 anos de participação no tráfico de escravos.

O Church Commissioners’ reponsabiliza a origem das doações ligadas a escravidão ao financiamento do Queen Anne’s Bounty (“A recompensa da rainha Anne”, em tradução literal), esquema para aumentar a renda do clero mais pobre da Inglaterra, estabelecido em 1704.
 

De acordo com o anúncio, um novo grupo de supervisão será formado em 2023 com participação significativa de comunidades impactadas pela escravidão.

Fonte: Metrópoles com informações Folha Gospel

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -