24.4 C
Vitória
segunda-feira, 15 agosto 2022

Uma história de cuidado e dedicação com as crianças

idosa_criança
Foto: reprodução

Exemplo! Uma senhora na Austrália dedica 60 anos da sua vida cuidando de crianças carentes. Dona Veryl, como é chamada, tem elas como filhas

Uma história de amor e cuidado na Austrália! Uma idosa chamada Veryl dedica 60 anos da sua vida a favor de crianças carentes. Sua dedicação, amor e cuidado com os pequenos, transformou em lição para todos que a conhecem. O chamado para esse trabalho veio de Deus, ainda bem nova, quando se converteu ao evangelho.

Ela é enfermeira e cuida especificamente de uma comunidade indígena.

“Havia muita necessidade ali e eles estavam pedindo enfermeiras em Yuendumu. É uma pequena comunidade indígena 290 quilômetros a noroeste de Alice Springs. Foi muito desafiador. Houve uma epidemia de sarampo no primeiro ano. Estávamos trabalhando em um galpão de lata – era o hospital. Mas o Senhor nos ajudou e não perdemos nenhum dos bebês”, contou.

Foi nessa viagem que ela também conheceu o seu marido, Doug. Eles se casaram em 1958 e resolveram voltar para a cidade de Alice Springs, quando começaram a cuidar de crianças carentes.

“No início, havia um garotinho, Eddie. Cuidamos dele enquanto seu pai trabalhava… e havia Bobbie. Ele tinha problemas cardíacos, então veio morar conosco”, conta Veryl.

Mãe de vários filhos

O casal teve dois filhos biológicos, mas o número de crianças carentes que aparecia para eles cuidarem não parava de aumentar. Sempre havia espaço no coração e na residência da família. Uma menina com poliomielite marcou a vida do casal.

“Ela não conseguia andar, então nós a crescemos. Em seguida, tivemos nossos dois filhos mais novos, Peter e Grant, mas continuamos tendo filhos, intermitentemente, por 60 anos”, disse ela.

Mesmo aos 91 anos, Veryl ainda trabalha por vontade própria em um hospital da sua comunidade, orientando e sendo uma referência para todos. Muitos dos filhos que ela criou ao longo de mais de meio século ainda buscam seus conselhos.

“Eu tenho 91 agora e estou esquecendo coisas! Muitas das crianças lutaram como adultos, mas sempre fizemos parte de suas vidas e nos pediram para ajudar a criar seus filhos e até mesmo seus netos. Durante todo o percurso da minha vida, Deus esteve no controle. Ele me guiou em todas as coisas. Ele dirigiu meus caminhos todos os dias”, concluiu.

*Com informações do Eternity News

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se