23 C
Vitória
terça-feira, 20 abril 2021

Hungria defende “plano cristão” contra crise climática

O Plano Nacional de Energia e Clima estabelece metas para que, até 2030, 90% da produção de eletricidade seja neutra em carbono. Primeiro-ministro húngaro quer “proteger algo que foi criado por Deus”

A Hungria apresentou nesta quinta-feira uma estratégia contra as mudanças climáticas que o primeiro-ministro Viktor Orban descreveu como uma “abordagem cristã” para combater o aquecimento global.

Publicado no site do governo, o Plano Nacional de Energia e Clima estabelece metas para que, até 2030, 90% da produção de eletricidade seja neutra em carbono, por meio de energia solar e nuclear.

Orban disse na semana passada que a estratégia tem uma “base democrata-cristã”, um rótulo que ele costuma usar para suas políticas, incluindo aquelas que expressam sua forte oposição a migrantes de países muçulmanos.

Viktor Orban diz que o país precisa de um governo dedicado aos valores cristãos

Ele também declarou em uma entrevista coletiva na semana passada que “a proteção dos ambientes construídos e da natureza, com base em princípios bíblicos, é uma política particularmente democrata-cristã”.

“Conservar a natureza de nossos filhos e netos pode ser interpretado como proteger algo que foi criado por Deus”, disse Peter Kaderjak, secretário de Estado do Meio Ambiente, à AFP posteriormente. “É um princípio geral, mas o objetivo concreto da estratégia é criar um país limpo e sustentável no qual se possa viver bem”, disse Kaderjak.

Até recentemente, os políticos de Viktor Orban eram ambíguos em relação às mudanças climáticas. No ano passado, alguns ministros veteranos de Orban disseram que a ativista ambiental sueca Greta Thunberg era uma “menina doente” e que seu movimento era algo que “repelia” os húngaros comuns.

*Com informações de AFP


leia mais

Bulgária, Polônia e Hungria rejeitam a ‘ideologia de gênero’

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se