Como diferenciar homofobia do que a Bíblia diz?

homossexualismo

Muitos líderes religiosos são chamados injustamente de homofóbicos, pois pregam contra o pecado de forma geral, incluindo o homossexualismo

As mudanças sociais, políticas e jurídicas na sociedade hodierna são constantes e radicais. São tantas que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu por maioria de votos enquadrar a homofobia como racismo, ou seja, a lei 7.716/89 que trata sobre o crime racial também abarcará a homofobia, segundo o STF.

Deixando de lado o mérito da questão, pois do contrário será necessário analisar o abuso de poder praticado pelo STF, tendo em vista que tal atribuição pertence ao Congresso Nacional e não ao STF, consideremos apenas a homofobia e os preceitos bíblicos sobre o tema, de forma sucinta e objetiva.

Em primeiro lugar devemos considerar que nem sempre o que dizem ser homofobia, me refiro aos defensores da causa LGBT e afins, de fato o é. Muitos líderes religiosos, especialmente pastores comprometidos com a palavra de Deus, são chamados injustamente de homofóbicos, pois pregam contra o pecado de forma geral, incluindo o homossexualismo ou homossexualidade, como queiram.

Ao conceituar homofobia como aversão ao homossexualismo, a maioria dos dicionários, incluindo o acima citado, erra, pois homofobia deve ser apenas contra a pessoa e não contra suas práticas. Neste último caso, é opinião pessoal, liberdade de expressão, e, portanto, garantida e protegida pela Constituição Federal Brasileira que assim preceitua: “…é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”. Art. 5º, IV. Logo, pregar contra tal prática nunca foi e nunca será homofobia ou preconceito, desde que sejam respeitados os princípios bíblicos para o embasamento de tal pregação e manifestação de opinião religiosa que, para nós cristãos, não se trata apenas de uma mera opinião, mas de um preceito bíblico inalterável e atemporal. Não obstante, tal consideração se faz necessária a ponderação no sentido de que a palavra de Deus, o Evangelho de Cristo e, portanto, o próprio Deus, não aprovam nenhum pensamento, palavra ou atitude que carreguem em si o ódio e a violência, sob quaisquer formas.

O cristianismo é a religião mais pacífica da terra, incompreendida por muitos, justamente porque a nossa luta é espiritual, como diz a palavra de Deus

Não há, na palavra de Deus, aversão ou rejeição a pessoas, mas sim contra práticas pecaminosas. Deus elaborou um plano de salvação para toda a humanidade, logo, todos os homens, independente da condição espiritual, cultural, econômica, social ou moral, são amados por Deus. Até mesmo aqueles que cometem os crimes mais bárbaros são por Ele amados. E o desejo Dele é que todos salvem, conforme o texto escrito pelo Apóstolo Paulo: “Pois isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (I Tm. 2:3,4).

A homofobia existe de fato quando um cristão prega o ódio contra os homossexuais, o que não acontece como regra. Se alguém assim procede não é um verdadeiro cristão e não conhece a palavra de Deus corretamente. Porém, infelizmente boa parte da sociedade, principalmente os formadores de opinião que estão na mídia de modo geral, “vende” para o público em geral a ideia de que nós cristãos praticamos a homofobia quando condenamos, pela palavra de Deus e com amor, a prática pecaminosa. Isso não é homofobia. A Bíblia não é homofóbica e os cristãos também não o são. O cristianismo é a religião mais pacífica da terra, incompreendida por muitos, justamente porque a nossa luta é espiritual, como diz a palavra de Deus.

Sendo assim, há um grande abismo entre homofobia, e me refiro ao que realmente é homofobia, ou seja, ódio, rejeição e aversão em relação às pessoas homossexuais e o que a Bíblia ensina. A Bíblia reprova a prática homossexual e não a pessoa assim como reprova a mentira, a inveja, a cobiça, a soberba, a hipocrisia, mas apresenta o amor de Deus para com todas as pessoas que tais coisas praticam.

O essencial é sabermos que como igreja devemos sempre pregar o evangelho a toda criatura e dizer a todos que Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu amado filho Jesus Cristo para morrer na cruz do calvário e salvar e libertar todos quantos, através da fé, recebem-no como único e suficiente salvador.

Emanuel Junior. Advogado e pastor-presidente da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Birigui e região (SP).


leia mais

STF decide que homofobia é crime