25.9 C
Vitória
sexta-feira, 17 setembro 2021

Homens: “é hora de parar de brincar no playground”

“O homem tem atribuições e responsabilidades, dentre eles, o governo da casa, a proteção da família, a provisão do lar, a presença dentro de casa e o sacerdócio”

Por Marlon Max 

Nem todos são assim, mas possivelmente você já viu homens que, mesmo na idade adulta, continuam a se comportar como crianças. Alguns também acreditam que, quando se trata de casais, são as mulheres que trazem maturidade ao relacionamento. A vivência de cada casal pode ser diferente uma das outras, mas as queixas sobre homens que insistem em não amadurecer é cada vez maior entre as mulheres, solteiras e casadas.

Um estudo conduzido pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, constatou que homens alcançam a maturidade tardiamente. Os cientistas examinaram o cérebro de 121 participantes com idades entre 4 e 40 anos por meio de imagens cerebrais. De acordo com o estudo, em geral, os homens amadurecem após as mulheres. Essa disparidade pode ser o pivô de muitas brigas e desentendimento.

Para o Pastor, Psicanalista e Sexólogo, Emerson Mafessoni, muitos homens estão deixando de lado suas atribuições, resultando no colapso de lares, da sociedade e até da igreja.

“É hora de parar de brincar no playground”, exclama o pastor, ao mesmo tempo que explica o porquê dos homens brasileiros não se assumirem como o cabeça do lar, conforme a orientação de Paulo no Novo Testamento.

“O Brasil a muito tempo deixou de ser patriarcal, como se apregoam por aí. O Brasil é matriarcal, LGBTlizado e afeminado. Falar que é homem no Brasil é quase um palavrão, e quando você declara isso com ênfase, com orgulho… você acaba sendo taxado de machista”, explica Mafessoni.

Por entender a necessidade em se resgatar a hombridade, ele conta também que apenas entre os anos de 2019 e 2020 ministrou para mais de 20 mil homens em todo país.

Covid-19: homens e idosos são principais vítimas graves
Centenas de pessoas atendem aos congressos para homens em todo Brasil. Foto: Divulgação/ Emerson Mafessoni

Essa busca crescente por congressos, livros e aconselhamento por parte dos homens cristãos, aponta para a necessidade em se compreender o papel do homem, o regate da hombridade e a urgência em amadurecer, para  que então, o homem volte ao protagonismo nos lares e nas igrejas.

Para Mafessoni, é vital que o homem cristão compreenda seu papel na formação das famílias. Ele conta, de forma breve, a gênesis desse processo de destruição da figura masculina na sociedade.

“O DNA da imaturidade do homem vem desde cedo. A maioria dos meninos aprendem muito novos que a sua masculinidade e hombridade está atrelada à quantidade de meninas que que ele namora, ou ao estilo de vida gandaieiro que ele vai viver.  Ou seja, quanto mais gandaieiro e mais sem princípios, mais imaturo ele vai ser”.

O pastor ainda revela que em seu livro, “A Síndrome de Peter Pan— O drama das casadas, o pavor das solteiras”, ele trabalha com os depoimentos mais recorrentes entre as mulheres em seu consultório. De acordo com ele, a maioria diz que está “cansada” e outras chegam a dizer “eu só queria que meu marido assumisse o papel de homem dentro de casa”, pontuou.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se