22.4 C
Vitória

Halloween – diversão ou maldição?

Leia também

Caso Coronavac seja eficaz, SP pedirá liberação emergencial à Anvisa em outubro

A informação foi divulgada em entrevista coletiva, nesta quarta-feira, 12, pelo secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn

Sem reajustes a ministros, STF aprova orçamento com R$ 25,7 milhões a mais para 2021

Depois do levantamento preliminar, foi necessário aplicar um corte de R$ 76 milhões, a fim de adaptar a proposta ao teto de gastos

Bolsonaro está em ótimo estado de saúde, diz médico

Desde o final do mês passado, o presidente retomou as agendas presidenciais e viagens pelo País

Festas populares são muito comuns em todas as culturas e não há problema em participar de algumas delas.

Todavia, devemos tomar cuidado e pedir discernimento a Deus para não sermos enganados pelas armadilhas do Diabo, que usa muitas dessas festas para disseminar os seus princípios malignos. Um exemplo disso é a Festa do Halloween, que, nada tem a ver com a cultura brasileira, mas infelizmente já entrou no nosso calendário. O Halloween, ou, Dia das Bruxas, é comemorado no dia 31 de outubro, e muitas pessoas participam como se fosse uma festa comum. Muitos pais, inclusive, “cristãos”, vestem seus filhos com fantasias de demônios e bruxas, e permitem que eles participem dessa comemoração, por achar que se trata de algo inocente e divertido – especialmente para as crianças. Mas a verdade é que de inocente a festa do Halloween não tem nada. O seu histórico é sombrio e macabro.

Como se sabe, as crianças são o público alvo de Satanás, pois, conquistando a mente delas, a próxima geração estará ganha.

A celebração do Halloween começou, há milênios, com o povo celta (antigo povo europeu), que comemorava no dia 31 de outubro a passagem de ano dos druidas (sacerdotes satanistas) e nesta data celebravam o “deus da morte”. Eles acreditavam que, na noite de 31 de outubro, as portas que guardavam os mortos eram abertas e os espíritos malignos saiam para se apossar dos corpos dos vivos. A fim de espantar esses espíritos, os druidas deveriam fazer “oferendas” ao deus das trevas. Para tal, eles se fantasiavam de bruxas, caveiras, demônios – na intenção de confundir os espíritos malignos – e saiam pelas ruas batendo nas portas e pedindo oferendas. Caso a família não desse nada, suas propriedades eram queimadas, suas moças virgens eram abusadas e seus animais eram mortos. É daqui que vem a expressão “trick or treat” (doçura ou travessura). Após recolher as oferendas, os sacerdotes faziam grandes fogueiras e realizavam sacrifícios de animais e também de “humanos” ao deus da morte.

Essa celebração maligna se espalhou pela Europa e depois chegou ao Canadá e aos Estados Unidos, onde foi reprimida pela religião, que eliminou os sacrifícios explícitos. Entretanto, a celebração ao deus das trevas não parou. Atualmente, as oferendas pedidas são os doces, mas as pessoas continuam a cultuar as trevas vestindo-se de zumbis, de bruxas e de demônios. A comemoração tornou-se uma festa voltada para as crianças. A forma foi disfarçada, mas o conteúdo maligno expresso no culto ao terror e ao deus das trevas continuou e passa de geração a geração. Como se sabe, as crianças são o público alvo de Satanás, pois, conquistando a mente delas, a próxima geração estará ganha.

Pais e mães, não se enganem, Halloween não é mera diversão. Essa festa é adoração e comprometimento com o deus das trevas, que é Satanás. As tragédias familiares começam, quando as pessoas se apartam do Deus vivo e trazem para dentro de suas casas os representantes das trevas. Essa festa maldita é uma maneira das crianças se acostumarem ao contato com o ocultismo, satanismo, e, assim, receberem influências espirituais malignas que irão acompanhá-las pelo resto de suas vidas. Em Deuteronômio 18.9-14, Deus não autoriza seus filhos a se misturarem com as trevas. O cristão é a luz do mundo, cultua ao Deus Altíssimo e não a Satanás, que veio ao mundo para roubar, matar e destruir (João 10.10).

Portanto, pais, não fantasiem seus filhos de bruxas e demônios, e nem permitam que eles participem dessa festa satânica. Fujam do mal e da aparência do mal, conforme ensina 1Tessalonicenses 5.22. Vocês pais, são os guardiões e os protetores espirituais dos seus filhos.

Por fim, minha sugestão para o dia 31 de outubro é que você reúna a sua família e promova um culto bem animado de gratidão a Deus, com músicas, leituras bíblicas, orações, e muita alegria. Encha a sua casa com a presença do Espírito Santo de Deus, para que Satanás passe longe dela. Mostre aos seus filhos que você ama e celebra o Deus verdadeiro, o Deus da vida, afinal, o dia 31 de outubro, para nós cristãos, além de ser o Dia da Reforma Protestante, é também o Dia Nacional da Proclamação do Evangelho. Aleluia! Deus abençoe você e a sua família, em nome de Jesus!


Isildinha Muradas é pastora, odontopediatra, pedagoga e palestrante para famílias e líderes do Ministério da Infância.

Contato

E-mail: [email protected]

- Continua após a publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Canta Recife Experience com Rodolfo Abrantes e esposa

O Canta Recife Experience é o primeiro evento drive-in cristão do Nordeste. Saiba mais!

Semana de lives da Consciência Cristã 2021; Confira as datas!

O tema das lives, que acontece de hoje, 3, até sábado, 8, é "Feitos à imagem de Deus", que será a abordagem do Consciência Cristã 2021

Helena Tannure e Alda Célia no Congresso Vitoriosas

É a terceira edição do evento, que é voltado para mulheres. O tema do Congresso Vitoriosas 2020 será Transformadas. Saiba mais! 

Lagoinha abre curso Linhas de ensino; Saiba mais!

As aulas das turmas do primeiro módulo do Curso Linha de ensino se iniciam a partir de 17 de agosto. Saiba mais!

Plugue-se

Em testemunho de fé, ex miss-universo, Dayana Mendoza se batiza

Dayana Mendoza revelou que encontrou em Jesus as respostas que precisava para sua vida

Baltazar, o atacante brasileiro “artilheiro de Deus”

Conhecido como Baltazar, o "artilheiro de Deus", foi destaque na década de 80, atuando pelo Grêmio de Porto Alegre e hoje, aos 61 anos é pastor e empresário. Conheça essa história!

“Entre a vingança e o perdão”: superando as dificuldades

Deus e perdoa, e você? Embarque nessa viagem sobre superação e perdão com “Entre a vingança e o perdão” 

‘Fala, Pai’: podcast especial para homens

O "Fala, pai" apresenta  31 reflexões, com cerca de três minutos voltadas para os homens. Saiba mais!