back to top
23.8 C
Vitória
terça-feira, 23 DE julho DE 2024

Para Haddad, está ‘caindo a ficha’ do mercado sobre medidas do governo anterior

haddad_fazenda_Comunhão
Para Haddad, está 'caindo a ficha' do mercado sobre medidas do governo anterior - Foto: José Cruz/Agência Brasil

Haddad afirma que o resultado do gasto eleitoreiro foi o aumento dos juros básicos da economia de 2% para 13,75%

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, minimizou nesta terça-feira, 2, as reações negativas do mercado financeiro à sua gestão na pasta e disse que o movimento desfavorável dos ativos brasileiros é resultado dos impactos produzidos pelas políticas adotadas pelo governo Bolsonaro às vésperas da eleição. Segundo o ministro, agora está “caindo a ficha” do mercado, com o conhecimento dos números sobre as medidas do governo anterior, que tiveram impacto de R$ 300 bilhões, segundo ele, entre gastos e renúncias fiscais – 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) para cada.

“Tinha um clima de que a economia estava no rumo certo, mas que está se desfazendo pelos números de gasto eleitoral do Bolsonaro Pessoas não se deram conta de que Bolsonaro usou 3% do PIB na eleição”, afirmou, em live promovida pelo site Brasil 247.

E completou: “Valor de R$ 300 bilhões disponíveis para torrar durante a eleição elegeria qualquer pessoa, menos contra Lula.”

Haddad defendeu que o resultado do gasto eleitoreiro foi o aumento dos juros básicos da economia de 2% para 13,75%, “o maior juro real do mundo”, embora a alta da taxa Selic tenha se iniciado em março de 2021, em função da disparada da inflação.

- Continua após a publicidade -

“Esse é o legado de Bolsonaro. Não é ataque especulativo, é que a ficha caiu”, reforçou o ministro da Fazenda.

Com informações de Agência Estadão

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -