Devo guardar o sábado?

A lei de guardar o sábado é uma prática judaica, dada aos judeus. E nós cristãos não somos obrigados a observá-la

Por ser um tema polêmico, Comunhão entendeu a necessidade de ouvir duas respostas para a pergunta. Por isso, nesta edição será diferente. Confira!

A Bíblica mostra que Deus criou todas as coisas e no sétimo dia (sábado) descansou. No original hebraico é usada a palavra ‘shabath’ que significa parar, descansar e contemplar. Mais adiante, nas leis dadas através de Moisés, há uma ratificação para que o povo guarde o sábado ou descanse neste dia.

Esta lei foi dada aos israelitas naqueles dias. Se hoje almejássemos observá-la, teríamos que observar também todas as outras 612 leis do mitzvot judaico, encontradas no velho testamento. Em seus escritos, Paulo deixa bem claro o quanto é desnecessário tentar obrigar os gentios (não judeus) a observar as leis dadas aos hebreus. Inclusive, este foi ponto de divergência e duras discussões com Pedro e os apóstolos em Jerusalém (Galatas 2:14-16).

Da mesma forma que o adultério, quando definido por Jesus, não seria apenas um homem se deitando com uma mulher, mas o simples olhar desejoso e cobiçoso, assim também a questão não é ‘parar tudo’ no sábado, mas viver uma vida toda descansando no Senhor e contemplando as suas maravilhas, não apenas um dia na semana, mas um estilo de vida de devoção.

A lei do sábado é uma prática judaica, dada aos judeus, e nós cristãos não somos obrigados a observá-la. Em momento algum isto está explícito nem subentendido nos ensinamentos de Cristo. Jesus não veio quebrar a lei mas cumpri-la (Mateus 5: 17-18). Porém o que realmente quis nos ensinar foi sua essência e não apenas suas regras.

Confira a outra resposta

O texto Bíblico mais importante sobre o sábado está em Genesis 2:1-3: ‘E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera’. Isso significa que o sábado foi instituído num contexto global (na criação), não preso a um povo, etnia ou religião. O mandamento em Êxodo 20:8-11 reforça esta compressão salientando dois aspectos muito importantes: (1) ele diz “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar”, em outras palavras, o dia instituído não deveria ser esquecido; (2) “Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra…”, ou seja, o motivo da guarda tem que a ver com o reconhecer que Deus é o Criador que descansou, abençoou e santificou este dia. O sábado foi um dia observado por Jesus (Lucas 4:16, 31), ação que também pode ser vista em seus seguidores (Lucas 23:53-56; Atos 13:14, 27, 42, 44; 17:2; 18:4). Que este dia tão especial também faça parte de sua vida. Bênçãos!


leia mais

Descanso
Lei permite faltar a provas por crença religiosa