back to top
20.9 C
Vitória
domingo, 23 junho 2024

Gratidão: a porta do céu

Qual a diferença entre os exemplos de pessoas gratas e ingratas na Bíblia? O resultado. Todos os ingratos perderam, sofreram e foram desprezados. Todos os gratos foram abençoados em todas as áreas

Por José Ernesto Conti

Não tenho dúvidas de que, em tempos de tragédias, um dos mais nobres sentimentos que podemos desenvolver é a gratidão. Impressiona-me ver pessoas resgatadas no Rio Grande do Sul expressarem o sentimento de gratidão, apesar de todas as perdas e dores. Uma publicação da Universidade de Harvard mostrou que existe uma forte relação entre gratidão e felicidade.

Uma pessoa grata torna-se querida, amada, respeitada. Diferentemente de uma pessoa ingrata, que reclama de tudo e de todos, murmura e deixa todos à sua volta tristes e depressivos. Gratidão ou ingratidão, cada uma produz efeitos e reações nas pessoas que estão à nossa volta. Enquanto a gratidão transforma o ambiente em um lugar aprazível, gostoso, aconchegante, a ingratidão, por sua vez, acarreta um ambiente sempre desagradável, repulsivo.

As pessoas gratas nos aproximam, as ingratas nos repelem. As pessoas gratas nos alegram, as ingratas nos entristecem. Se a coisa funciona assim, então por que não somos sempre gratos? Por que não espalhamos gratidão por onde vamos e, assim, transformamos os lugares que frequentamos? Talvez por uma razão “muito pequena”: o egoísmo (irmão da inveja e filho da arrogância). Isso mesmo! Para que haja gratidão, é necessário sermos “outrocêntrico”. Para ser ingrato, basta ser “eucêntrico”. Boa parte das pessoas têm muita dificuldade de olhar os outros, enxergar com bons olhos o que os outros estão fazendo e ser grato por isso.

- Continua após a publicidade -

A Bíblia está cheia de exemplos de gratidão, desde Noé, passando por José, Moisés, Davi, Salomão… Davi chega a perguntar: que darei ao Senhor por todos os seus benefícios? Também no Novo Testamento quando Jesus deixa inúmeros exemplos de pessoas gratas, como o “bom samaritano”, ou quando Jesus disse: dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também (Lucas 6:38 ), ou quando Paulo fala à igreja em Éfeso de que “mais bem-aventurado é dar que receber” (Atos 20:35b).

Da mesma forma, a Bíblia mostra vários exemplos de ingratidão, sendo talvez o mais marcante o do povo judeu, que, depois que foi liberto do cativeiro, mostrou grande ingratidão, ao ponto de Deus dizer que mataria todo aquele povo (Ex 32:35) e nenhum deles entraria na terra prometida. Paulo, escrevendo aos Romanos, declara que, “tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se lhes o coração insensato” (1:21).

Qual a diferença entre os exemplos de pessoas gratas e ingratas na Bíblia? O resultado. Todos os ingratos perderam, sofreram e foram desprezados. Todos os gratos foram abençoados em todas as áreas. A bondade de Deus não resiste a um coração grato. Deus premia, ajuda, abençoa, protege aqueles que possuem um coração grato. Se somos seres inteligentes, o maior sentimento que deve brotar em nossos corações é a gratidão. Por isso, em tempos de tragédia, ter um coração agradecido é saber ganhar!

José Ernesto Conti é pastor da Igreja Congregação Presbiteriana Água Viva e engenheiro mecânico.

 

Mais Artigos

- Publicidade -

Comunhão Digital

Continua após a publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

Entrevistas