back to top
27.7 C
Vitória
terça-feira, 21 maio 2024

Rússia prende missionário sob alegação de “espionagem”

Foto: Reprodução

Ele está em um centro de detenção em Moscou, e a Associação Cristã Coreana de Políticas Públicas a pelou pela imediata libertação 

Por Patricia Scott

Um missionário coreano foi preso pelo governo russo “sob acusações de espionagem”. A informação é da Associação Cristã Coreana de Políticas Públicas, liderada pelo pastor So Kang-seok, divulgada na última terça-feira (19), que solicitou a imediata libertação.

“Só em março é que o Serviço de Segurança Federal Russo tomou conhecimento de que um missionário coreano que vinha realizando trabalho missionário no Extremo Oriente Russo e no Krai de Primorsky nos últimos anos foi preso por espionagem”, divulgou a associação em nota oficial, acrescentando que, atualmente, o missionário está em um centro de detenção em Moscou.

“A Rússia afirma que um missionário coreano é suspeito de transmitir segredos de Estado russos a uma agência de inteligência estrangeira. No entanto, o cristão coreano atualmente detido é um missionário protestante que tem fornecido ajuda humanitária aos trabalhadores norte-coreanos nos últimos anos e trabalhou para proteger os trabalhadores norte-coreanos”, informou o comunicado.

- Continua após a publicidade -

De acordo com a associação, até o momento, o governo russo não forneceu nenhuma explicação sobre como o missionário adquiriu segredos de Estado, qual o tipo de conteúdo obteve e para que país vazou as informações.

A partir do testemunho do missionário, a associação acredita que o argumento do governo russo não é convincente: “Não podemos evitar a suspeita de que o governo russo aplica a lei arbitrariamente, tendo em conta as relações diplomáticas e políticas com a Coreia do Sul e a Coreia do Norte”.

O Artigo 28 da Constituição Russa assegura a liberdade religiosa para todos os indivíduos. No entanto, a lei não foi levada em consideração no caso do missionário. “Em particular, a liberdade religiosa inclui o direito de acreditar na religião de sua escolha, o direito de mudar de religião e o direito de divulgá-la”, enfatizou a associação.

Sobre a detenção de missionários coreanos, a associação frisou que a ação “não é apenas uma violação das normas universais de direitos humanos que estipulam a liberdade de religião”, mas também “uma violação direta da Constituição Russa”. Desse modo, a instituição afirmou que os cristão “devem ser libertados imediatamente”.

Para a instituição, “o governo também deve cumprir a sua obrigação de proteger os seus cidadãos. Forneceremos ativamente assistência jurídica para garantir a segurança e a libertação dos missionários atualmente detidos”.

Por fim, a associação apelou ao governo sul-coreano por providências: “Pedimos que tome as medidas necessárias para resolver a questão, mobilizando todos os canais diplomáticos disponíveis”. Com informações The Christian Post 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -