Governo reúne lideranças evangélicas para pedir apoio no combate ao Aedes aegypti

Depois de todas as 73 paróquias localizadas na Grande Vitória declararem apoio ao combate ao mosquito Aedes Aegypti, nesta quarta-feira (16), foi o dia de 66 lideranças evangélicas capixabas abraçarem a causa. O anúncio foi feito durante encontro com o governador Paulo Hartung. A agenda ocorreu no Salão do Piano, no Palácio Anchieta, na Cidade Alta, em Vitória.

 

No encontro, Hartung ressaltou que o Governo do Estado e as prefeituras estão desenvolvendo uma série de medidas administrativas e práticas para combater e prevenir o mosquito Aedes Aegypti. Porém, destacou ser necessária a participação da sociedade, e neste sentido, considera fundamental o envolvimento de lideranças religiosas. “Celebro a adesão destes grandes líderes do nosso Estado que podem auxiliar nesta importante mobilização para conscientização da população neste enorme desafio que estamos enfrentando”, disse.

“O seguimento evangélico é muito representativo. Os principais líderes evangélicos do Estado, de várias denominações, estiveram presentes nesta reunião de hoje. Os evangélicos representam cerca de 85% da população, sendo um canal direto do púlpito da igreja com a sua membresia, falando dos cuidados que a população tem que ter e o perigo que é este mosquito que está assustando a toda a sociedade”, destacou o pastor Reginaldo Almeida.

No encontro desta manhã, o secretário de Saúde, Ricardo de Oliveira, mostrou um cenário da dengue, chinkugunya e zika vírus tanto em nível estadual quanto nacional. Para ele, o fato de o país estar enfrentando uma doença – no caso do zika vírus – ainda totalmente desconhecida para a área de pesquisadores e especialistas médicos, traz uma preocupação muito grande e é preciso encarar a situação de uma forma altamente responsável.

“Nós do Governo estamos buscando todos os meios possíveis para não perdermos essa briga. Entretanto, é fundamental que cada setor nos ajude a conscientizar o maior número de pessoas para a importância de combatermos o foco do mosquito. Os pastores são lideranças importantíssimas, que podem dar uma contribuição considerável”, avalia Ricardo de Oliveira.

O secretário voltou a lembrar que o Espírito Santo vinha apresentando uma média de três casos de microcefalia por ano. Este número, disse Ricardo de Oliveira, permaneceu inalterado até outubro desse ano. “Agora em dezembro, já são 14 casos de microcefalia. Tem relação com o zika vírus? Não sabemos. Então, não podemos descansar”, disse.

Ricardo de Oliveira também lembrou que o governador Paulo Hartung decretou que todos os prédios públicos ligados ao Governo do Estado tenham um síndico e que, toda segunda-feira, ele passe em cada ponto para ver se encontra focos do Aedes aegypti. “Sabemos que mais de 70% dos focos estão nas residências, mas temos de dar o exemplo e fazermos a nossa parte”.

Números
Até a última quinta-feira (10) o Espírito Santo registrou 376 casos suspeitos de infecção pelo zika vírus, sendo cinco confirmados laboratorialmente (04 em Vitória e 01 em Vila Velha). Foram notificados 14 bebês, entre nascidos e em gestação, diagnosticados com microcefalia, mas ainda sem confirmação de relação com o zika vírus.

Exército
Os militares lotados no 38º Batalhão de Infantaria, em Vila Velha, estão nas ruas com os agentes municipais de saúde realizando o combate ao vetor da dengue, zika virus e chikungunya, seguindo indicação de prioridade dos municípios. As ações contam com apoio de 30 militares e acontecem a partir das 8 horas, sempre acompanhados pelos agentes municipais.
Confira programação:
15/12: Serra – Feu Rosa
16/12: Vitória – Jardim Camburi
17/12: Vitória – Tabuazeiro
18/12: Vitória – Jardim Camburi

Ações voltadas para gestantes
– Fluxo de atendimento à gestante permanece o já existente da rede materno-infantil;
– Solicitação ao Ministério da Saúde da inclusão do repelente na Relação Nacional de Medicamentos (Rename) e o fornecimento imediato de 50 mil unidades;
– Reunião com maternidades.