25.7 C
Vitória
segunda-feira, 17 maio 2021

ES: Governo pede igrejas que limitem pessoas em cultos

Além de limitar quantidade de pessoas em cultos, governo do ES pediu que as instituições dêem suporte emocional e espiritual à população que sofre nesse momento difícil. Governo federal também pediu ajuda das igrejas para combater o covid-19

Em reunião no Palácio Anchieta, em Vitória (ES), nesta sexta (20), o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande  reuniu a liderança evangélica e católica do estado para definir medidas de prevenção e combate ao avanço do Covid-19. A determinação do Governo é que, se cultos e celebrações forem acontecer, que sejam realizados com no máximo 50 pessoas.

Outra orientação do governo é que o público considerado de risco, acima de 60 anos ou pessoas resfriadas permaneçam em casa.

“Os templos podem continuar com suas portas abertas afim de atender as pessoas que em momentos difíceis recorrem as igrejas buscando amparo emocional ou espiritual. Recomenda-se bom senso e que os eventos sejam restritos obedecendo essas recomendações. É hora de união e cooperação coletiva”, explicou o pastor Nelson Júnior, presidente da Associação de pastores de Vila Velha (APEVIVE), que participou da reunião.

Importância da Igreja

Durante o encontro, o governador ressaltou a importância das instituições religiosas para combater o vírus. E solicitou o apoio do segmento no enfrentamento da pandemia, de modo a colaborar e contribuir com as recomendações das autoridades.

“O governador quer caminhar o tempo todo com a igreja. Apesar da opinião pública querer que a igreja feche as portas, ele pediu que esteja aberta para cuidar das pessoas, mas que siga a risca tudo o que foi decretado. E fez um apelo para que possamos ajudar as pessoas no cuidado espiritual e emocional com aqueles que estão sofrendo diante da gravidade do momento. Pois a igreja é uma porta de esperança”, esclareceu o pastor Diego Bravin, diretor executivo da Convenção Batista do ES.

O presidente da Associação de Pastores de Vitória (APEV), pastor Romerito de Oliveira, que também participou do encontro, disse que o momento é de grande instabilidade psicológica que atinge a sociedade. “Logo o papel desempenhado pela assistência espiritual a essas pessoas nesse momento é extremamente relevante. A igreja é um valioso instrumento de parceria pública para atender as pessoas”, destacou.

No Espírito Santo, assim como em denominações de várias partes do país, muitas igrejas continuam de portas abertas à população. “Muitas até com pastores de plantão para receber pessoas que no momento de desespero ou crise, buscam um atendimento ou receber orações”, acrescentou Nelson Júnior.

Governo federal

No início da semana, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, pediu ajuda aos líderes evangélicos e católicos para combater o coronavírus. Durante uma reunião em Brasília, com a participação de alguns líderes do país, Damares pediu que evitem aglomerações de pessoas nas igrejas.

A ideia da pasta foi abrir diálogo com pastores e padres para divulgar informações corretas e oficiais sobre a pandemia. Entre as orientações do governo federal é que crianças e idosos não participem de cultos e missas presencialmente. Se forem realizados, a indicação é que ocorram em locais abertos, com distância entre as pessoas e que não haja contato.

O governo também orientou que shows, festas religiosas, congressos e acampamentos sejam suspensos.

“É preciso também estar atento à própria higienização dos locais de culto, como as cadeiras e demais pontos de contato. E, de preferência, que estes encontros ocorram em local aberto, respeitando-se a distância entre as pessoas. Idosos e crianças devem ficar em casa”, afirmou a ministra.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se