22.9 C
Vitória
domingo, 22 maio 2022

Gangues estão tomando poder no Haiti e ameaça governo dos EUA

Foto: reprodução

17 missionários continuam sequestrados por gângsteres no Haiti, o Christian Aid Ministries disse que quase metade do país está agora “sob o controle de gangues”

Por Marlon Max

De acordo com fontes do Aid Ministries, um poderoso chefão do crime local chamou os Estados Unidos e as Nações Unidas para romper os laços com o governo para “libertar” os cidadãos.

“Este é o 19º dia desde o sequestro no Haiti. Nossos trabalhadores e entes queridos ainda estão detidos. Nossa oração é que Deus os proteja e dê-lhes coragem enquanto suportam mais um dia como reféns ”, disse o Christian Aid Ministries em uma declaração na quarta-feira.

“A situação política no Haiti continua extremamente volátil. Numerosos relatórios afirmam que quase metade do país está sob o controle de gangues. Ore pelos muitos haitianos que sofrem durante este período de turbulência ”.

Jimmy “Barbecue” Cherizier, líder da Família G9 e Aliados, uma federação de nove gangues violentas que controlam grande parte de Porto Príncipe, Haiti, pediu aos EUA e à ONU na quarta-feira que cortassem os laços com seu governo quase quatro meses após o assassinato do presidente haitiano Jovenel Moïse.

“Aproveitamos para convidar as Nações Unidas em geral e os chamados países amigos do Haiti, em particular os Estados Unidos da América, a se inscreverem nesta página da história como leais aliados que desejam o bem-estar do povo haitiano divorciando-se do status quo ”, disse Cherizier em entrevista coletiva.

A chamada vem em meio à crescente insegurança no país caribenho, incluindo centenas de sequestros, como os de 17 missionários do Christian Aid Ministries mantidos em cativeiro pela gangue de 400 Mawozo desde outubro. Um grupo da sociedade civil daquele país relata que 600

Com informações The Christian Post

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se