21 C
Vitória
domingo, 29 maio 2022

Franklin Graham alerta para o perigo do pensamento progressista

Foto: Reprodução

“Surgiu nas salas dos seminários, se infiltrou nos púlpitos de milhares de igrejas e foi propagado por uma mídia liberal ímpia”

Por Patricia Scott 

Na análise do evangelista Franklin Graham, existe, atualmente, uma guerra entre o Cristianismo Bíblico e o que se denominou como “cristianismo progressista”. Em artigo publicado na revista digital Decision, ele alertou para o perigo do pensamento progressista.

“Surgiu nas salas dos seminários, se infiltrou nos púlpitos de milhares de igrejas e foi propagado por uma mídia liberal ímpia”, frisou o pastor. NA visão de Graham, essa ideologia serve para “lançar dúvidas e minar os princípios fundamentais da Palavra de Deus.”

Franklin Graham, ao citar o apóstolo Paulo, lembrou que “outro Evangelho” estava sendo ensinado e pregado quando advertiu aos Gálatas: “Algumas pessoas os estão perturbando, querendo perverter o evangelho de Cristo [Gálatas 1.7]”. O evangelista salientou que o mesmo se aplica aos defensores do “cristianismo progressista”. “Eles enganosamente promovem o que acredito ser claramente um ‘outro evangelho’”.

Graham frisou ainda que “o cristianismo progressista não é o Evangelho de forma alguma. Não tem nada a ver com o Evangelho da morte e ressurreição de Cristo. Isso não resulta em nada, além de confusão espiritual e caos”.

É preciso “pregar a Palavra”
Para Graham, o “cristianismo progressista” promove divisão no Corpo de Cristo, negando a própria verdade das Sagradas Escrituras. Para exemplificar, o pastor citou como exemplo o casamento como um sacramento, defendido a Palavra de Deus.

“Embora as Escrituras digam claramente que o casamento é entre um homem e uma mulher, os defensores do cristianismo progressista distorcem a verdade da Palavra de Deus sobre a sexualidade, se concentrando em tendências sem sentido, como a identidade de gênero”, asseverou.

Graham argumentou que os adeptos do “cristianismo progressista” negam a distinção dos sexos feita por Deus e, em vez disso, inventam seus próprios padrões equivocados, não guiados pela Palavra de Deus. “As influências culturais degradantes que abraçam movimentos como o casamento gay têm mais influência sobre suas crenças do que a Bíblia”.

Ele ponderou também que nas pautas raciais, os autodenominados cristãos progressistas esquecem que o maior problema do homem é o pecado. “O cristianismo progressista falha em ver as consequências desastrosas do estado depravado e pecaminoso da humanidade”.
Graham avaliou que o “real perigo é que o cristianismo progressista pode enviar uma pessoa para o inferno”. Ele disse saber que é duro, mas é verdade. “Amar as trevas mais do que a luz terminará em uma eternidade no inferno”.

Ao voltar-se para os pastores, Graham salientou que é preciso voltar a “pregar a Palavra”. “Os evangélicos precisam guardar a verdade de uma vida e pregação bíblica, permanecendo verdadeiros e ousados sobre o que a Bíblia ensina claramente”.

Com informações Decision

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se