21.6 C
Vitória
terça-feira, 7 dezembro 2021

Flordelis terá de explicar à justiça violação de tornozeleira eletrônica

Deputada terá que esclarecer por quê, entre 19 e 21 de maio, supostamente omitiu que a cinta que prende a tornozeleira ao pé estava rompida

Por Patricia Scott

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ), ré pelo assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, tem 48h para justificar a justiça por quê, entre os dias 19 e 21 de maio, descumpriu o monitoramento por tornozeleira eletrônica. A determinação é da juíza Nearis dos Santos Carvalho, da 3ª Vara Criminal de Niterói (RJ).

No despacho, assinado na terça-feira (29), a magistrada questiona a suposta omissão de Flordelis ao fato de a cinta, que prende a tornozeleira ao pé, durante aquele, estar rompida. De acordo com o texto da juíza, a violação do equipamento ocorreu às 10h13, do dia 19, mas a deputada só teria procurado a Secretaria de Administração Penitenciária no dia 20, às 11h13.

No mesmo dia 20, Flordelis teria conseguido agendar a reinstalação da tornozeleira, às 14h10. A juíza Nearis dos Santos Carvalho determinou ainda que Flordelis seja intimada pessoalmente sobre os pedidos de esclarecimento, em 24 horas. O comunicado deve ser feito, inclusive, por aplicativo de mensagem.

A deputada responde às acusações de homicídio triplamente qualificado – por motivo torpe, emprego de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima –, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada. Por conta da imunidade parlamentar, Flordelis só pode ser presa em flagrante por crime inafiançável. Por isso, atualmente, ela cumpre medidas cautelares, monitorada por tornozeleira eletrônica.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se