FGTS de contas inativas reduz o endividamento das famílias

Foto: Divulgação

Medida de liberação de recursos de contas inativas já injetou R$ 41,8 bilhões na economia

De acordo com um estudo divulgado, nesta segunda-feira (17), pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP), entre março e julho de 2017, foram sacados R$ 41,8 bilhões das contas inativas do FGTS. O objetivo do estudo foi mostrar o impacto na economia dos recursos liberaos do fundo de garantia.

Esses recursos fizeram aumentar as vendas de varejo, em especial de supermercados, celulares e automóveis. Notou-se também redução do uso de cheque especial e cartão de crédito, o que aponta para a diminuição do endividamento das famílias brasileiras.

O estudo aponta ainda que a maioria dos recursos foi utilizada para quitar dívidas (36%), na perspectiva de sair da inadimplência e poder voltar ao consumo. Nessa mesma linha, dados do Serasa indicam redução do endividamento das famílias com carnês de loja houve queda de 1,6% em março de 2017 em relação a março de 2016, e com cheque pré-datado houve queda de 0,6% em maio e junho de 2017 em relação aos mesmos meses do ano anterior.

Os dados revelam que pode estar havendo a quitação de dívidas com os recursos do FGTS e/ou a opção pela compra à vista ou com entrada e uso de linhas de crédito mais favoráveis.